segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Carteira HEAVY METAL - Janeiro de 2013 (D.C.)

Composição atual do portfólio HEAVY METAL:

1- Fundos Imobiliários = WPLZ11B, PRSV11, FEXC11B, NSLU11B, FFCI11, EURO11, FPAB11, BCFF11B, FVBI11B, VRTA11, RDES11, BRCR11 e XTED11 (estes dois últimos são novatos na Carteira HM). Comprei mais cotas de FFCI11 e 100 cotas de BRCR11 / XTED11, agora tenho 13 FII na CHM. Valor atual de 706.790,90 reais.


2- Ações = ELPL4, CSNA3, BBAS3, WHRL3, RADL3, ETER3, VALE5, EQTL3, GRND3, CMIG3 e CRUZ3 (estas duas últimas são novatas na Carteira HM). Pretendo escolher mais duas (ou três) novas empresas para meu portólio, continuo muito querendo que AMBV3 tome uma porrada de uns 20%... Valor atual em ações é de 759.130,00 reais.

3- Previdência Privada = MAPFRE Seguradora, com 70% em Renda Fixa e até 30% em Ações, sem taxa de carregamento e a taxa de administração de 1,4%. Vou chorar desconto nesta taxa de administração, pois 1,4% "tá osso" com os juros atuais do país. Valor atual de 317.109,79 reais.

 4- Renda Fixa = 200.000,00 reais em empréstimos e 180.721,89 reais num Fundo de RF no HSBC. Total de 380.721,89 reais.

5- Dinheiro em Caixa = 138.500,00 reais.
 
 Nos atuais valores dos ativos da Carteira HM, minha distribuição percentual está assim dividida:

1- Fundos Imobiliários (FII) = 30,7%

2- Ações = 32,98%

3- Renda fixa = 16,54%

4- Previdência Privada = 13,77%

5- Dinheiro em Caixa =  6,01%

 E sigo na busca de novos ativos para colocar na carteira, na parte de FII já estou satisfeito com o atual grupo de 13 fundos. Está difícil escolher novas ações ou mesmo FII, mas das ações que já tenho eu pretendo aumentar posição em GRND3 e BBAS3 (esta última, abaixo dos 23,00 reais acho uma boa compra). Paciência é a regra do jogo.



  
 "The Hunt just goes on... and on..."

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Valor atual da Carteira HEAVY METAL - Janeiro de 2013 (D.C.)

Descrição dos valores dos ativos da Carteira HM no dia 01/02/2013:

1- Ações: 759.130,00 reais.

2- Fundos Imobiliários: 706.790,90 reais.

3- Previdência Privada: 317.109,79 reais.

4- Empréstimos: 200.000,00 reais.

5- Dinheiro em Caixa:  138.500,00 reais

6- Fundo de Renda Fixa (no banco HSBC): 180.721,89 reais. 


TOTAL: 2.302.252,58 reais!!!
 
*Proventos recebidos até 31/01/13: 5.940,15 (proventos de FII, CSNA3, CMIG3 e Aluguel de ELPL4) + 3.350,00 (venda de opções BBASB28) + 2.324,00 (empréstimos) = 11.614,15 reais. Este valor foi todo aplicado em novas compras para a Carteira HM.


- Fevereiro de 2011: Carteira HM estava em 1.159.000,00 reais.
- Março de 2011: Carteira HM estava em 1.244.801,00 reais.
- Abril de 2011: Carteira HM estava em 1.340.805,17 reais.
- Maio de 2011: Carteira HM estava em 1.386.750,81 reais.
- Junho de 2011: Carteira HM estava em 1.497.167,23 reais.
- Julho de 2011: Carteira HM estava em 1.517.651,68 reais.
- Agosto de 2011: Carteira HM estava em 1.507.762,97 reais.
- Setembro de 2011: Carteira HM estava em 1.568.573,84 reais.
- Outubro de 2011: Carteira HM estava em 1.667.882,48 reais.
- Maio de 2012: Carteira HM estava em 1.897.529,77 reais.
- Junho de 2012: Carteira HM estava em 1.955.386,78 reais.
- Julho de 2012: Carteira HM estava em 1.962.876,80 reais.
- Outubro de 2012: Carteira HM estava em 1.978.245,69 reais.
- Dezembro de 2012: Carteira HM estava em 2.287.842,79 reais. 
- Janeiro de 2013: Carteira HM está em 2.302.252,58 reais.



 Compras realizadas de 21/01/13 até 01/02/13: 100 ações BBAS3 (24,26 P.M.), 300 ações CMIG3 (21,95 P.M.), 200 ações CSNA3 (12,02 P.M.), 100 cotas de BRCR11 (154,62 P.M. e novata na Carteira HM), 1.270 cotas de FFCI11 (2,00 P.M.) e 100 cotas de XTED11 (102,68 P.M. e novata na Carteira HM). 

 O aporte mensal na Previdência Privada está em 2.500,00 reais. Não tenho postado o valor do rendimento mensal da P. Privada visto não ter acesso a este dinheiro, o qual é automaticamente aplicado pelo banco, mas sempre considero os mesmos na soma dos proventos anuais - e nas médias mensais calculadas no final de cada ano.  

 Além da aplicação dos proventos recebidos (11.614,15 reais), coloquei
17.647,00 reais de "dinheiro novo" na Carteira HM nestes últimos dias. O total aplicado foi de  29.261,15 reais (somando proventos e dinheiro novo) e realoquei 11.500,00 do dinheiro em caixa  (8.000,00 coloquei na RF do HSBC + 2.500,00 na P. Privada). 
 
 O valor somado do Dinheiro em Caixa (138.500,00 reais) com os aportes feitos na Carteira HM até a presente data - incluindo os Proventos e Dinheiro Novo (1.211.420,34 reais) - dá um total de 1.349.920,34 reais aplicados desde Fevereiro de 2011.

 A)
2.302.252,58 (valor atual) - 1.159.000,00 (início da Carteira HM) = 1.143.252,58 reais de Valorização Bruta em 22 meses, que equivale a 98,64 %. Nota-se que isso se deve ainda aos aportes feitos, mas o legal é notar como a carteira cresce, os proventos ajudando todos os meses e a semeadura segue firme. 

 Não retiro um real da minha carteira para uso pessoal. ESTE DINHEIRO NÃO É MEU AINDA!!! Será no FUTURO e será muito útil. Não invistam pensando em curto prazo, pois isso  é uma aventura muita vezes perigosa e desastrosa... No curto prazo o mercado é insano, "uma máquina de contar votos, no longo prazo é uma balança".  

 B) 1.349.920,34 (aportes totais + dinheiro em caixa) - 1.143.252,58 (VB) = 206.667,76 reais de déficit nos rendimentos da carteira em 23 meses .

C) 206.667,76 (déficit) / 2.580.920,34 (soma dos aportes + valor inicial da CHM) =  são exatos -8%  (desvalorização real da Carteira HM, em 23 meses). Houve uma melhora de 0,12% no déficit, e ELPL4 é a atual "âncora" afundando a CHM mas estou tirando uns trocados com ela através do BTC (aluguel) - consegui uma taxa de 10% ao ano. Lembrem-se sempre que o valor do déficit é maior, mais negativo, pois neste período minha carteira perdeu para a inflação.
 
 Deveria ter hoje o valor de 2.580.920,34 reais em Carteira somados com (no mínimo) a correção da inflação do período - cálculo mais justo. Mas tenho paciência e metas a alcançar. Repito: vida segue seu rumo e eu indo para a Disney novamente, com minha família, nos próximos dias

 Minha meta atual é bater os 20.000,00 reais de proventos por mês (em 2012 a média foi de 18.965,89 reais por mês). E fazer minha "bola de neve" crescer mais e mais. E abaixo segue a imagem de um dos maiores guitarristas da História.




sábado, 29 de dezembro de 2012

Proventos : médias anuais de 2009 a 2012

 Este post é para os que acreditam no poder dos juros compostos, da disciplina, do trabalho e que seguem uma estratégia bem definida -  e claro, que vigiam de perto seus investimentos. De uma antiga carteira com um portfólio "feijão com arroz brasileiro", onde eu só tinha PETR4 e VALE5 anos atrás e achava que era muito esperto (como vários desavisados entraram e ainda entram na BOVESPA) para um portfólio dividido em FII / RF /Ações e Previdência Privada (que sei ser criticada por muitos...). Fiz o cálculo dos valores anuais totais e a média mensal dos proventos que recebi.

 Os proventos somados incluem: venda coberta de opções, dividendos e juros sob capital próprio das Ações, aluguel de ações, juros da RF, dividendos dos FII, rendimentos da P. Privada e minhas restituições do IR.

1- Proventos de 2009: 43.169,13 reais.
    Média mensal: 3.597,42 reais.
2- Proventos de 2010: 79.871,02 reais.
    Média Mensal: 6.655,91 reais.
3- Proventos de 2011: 192.429,35 reais.
    Média Mensal: 16.035,77 reais.
4- Proventos de 2012: 227.590,72 reais.
    Média Mensal: 18.965,89 reais.  

 A soma total dos proventos recebidos nestes últimos 4 anos é de 543.060,22 reais, que dá uma média anual de 135.765,05 reais. Todo este valor foi reinvestido na Carteira HM, nunca usei um centavo sequer para outros fins. A média mensal de dividendos subiu 527,20% entre 2009 e 2012, isso obviamente devido a quatro fatores:

A) Reinvestir consistentemente todos os proventos recebidos automaticamente na própria carteira.

B) Aportes regulares com dinheiro "novo", independente do rumo do mercado. Sejam eles mensais, trimestrais, etc...

C) Escolher ações de empresas que sejam boas pagadoras de dividendos (de preferência regulares e por mais de 5 anos), pois isto é um indício de empresas lucrativas e bem administradas. 

D) Optar por ter uma carteira diversificada, nunca exclusivamente com um só tipo de ativo (o colega Henrique Carvalho é o mestre no assunto, tiro meu chapéu para ele que muito me ajudou com os textos do seu Blog) e procurar investir PASSIVAMENTE. Calcular o risco e retorno da empresa onde se está investindo - e para quem gosta de "poupar tempo", sugiro investir em ETF`s ao invés de comprar ações como eu faço. 

 Cito a vocês algo que aconteceu na minha corretora dias atrás: um investidor (se assim posso chamar quem faz isso...) comprou ELPL4 com P.M. de 22 reais, pois achou que o preço dela já estava muito barato e "não cairia mais". O papel então bateu abaixo dos 13,xx e o cara realizou prejuízo vendendo tudo a preço de mercado - e colocou a culpa no Governo, na Bovespa, nos gringos... Eis que ELPL4 renasce das cinzas e sobe uns 30% em 3 dias... bateu acima dos 17,xx hoje. Óbvio, o mesmo cara está agora puto da vida e acha que a bolsa é cassino! Ele não sabia porque comprou ELPL4 e nem porque vendeu, isso que dá entrar as cegas no mercado de ações.

 Simples: ou usa "STOP LOSS" ou deixa o pau quebrar! Tem que definir um perfil de investidor em ações, deixar de ser "bipolar"... Ou sou holder ou sou trader, ficar pulando de galho em galho só dá MERDA! Nada contra um nem outro perfil, mas apenas peço que vocês DEFINAM SUAS ESTRATÉGIAS ANTES. Depois, é tarde demais. E isso ocorre todos os dias, semanas, meses e anos na bolsa de valores pois a maioria apenas segue a manada - e alguns ainda são mestres em comprar no TOPO e vender no FUNDO - ou ouviram dicas "quentes"... e se lascam. É só relembrar micos como OGXP3, MNDL4, RPMG3, MILK11, TELB4... a lista é vasta e todo ano a história se repete (e vai continuar a se repetir...) pois a ganância e impaciência humanas são infinitas   


 Não sou guru de investimentos e nem pretendo que sigam minhas dicas, pois este Blog me serve muito mais como um registro dos meus investimentos e também para minha própria organização e controle. Como exemplo, nunca tinha calculado a média de proventos que recebi de 2009 em diante, fiz isso hoje e aqui. Desejo a todos maturidade ao investir o dinheiro suado que todos tanto batalharam para conseguir (e conservar), que definam suas metas e perfil como investidores ANTES e que procurem sempre ter uma carteira diversificada (tanto nos tipos de ativos como dentro de um mesmo tipo de ativo)... jamais "all in stocks". 

 Não tentem "reinventar a roda"... usem as que já estão prontas e que giram sem dificuldades!


 
"Don`t wait for the Governments to take care of your Future... They all are just WARPIGS!".

domingo, 23 de dezembro de 2012

Abram os olhos com a PETROBRÁS...

 A Petrobrás desde que o PT assumiu o governo tem sido SAQUEADA até seu último centavo, e quem paga a conta, amigos, somos nós com dinheiro dos nossos impostos. Meteram a empresa em negócios obscuros e que arrombaram seus cofres. Só mesmo no Brasil uma empresa de petróleo, ANTES LUCRATIVA, AGORA DÁ PREJUÍZOS BILIONÁRIOS (e em dólar). Seu lucro vem caindo trimestre a trimestre de forma assustadora, entrou num negócio em 2005 para "comprar" uma refinaria nos Estados Unidos que é uma VERGONHA e que  gerou um prejuízo somente neste "negócio da China ao contrário" de mais de 1 bilhão de dólares. Leiam com calma as notícias a seguir, que são de domínio público. E chorem...

   Negócio da Petrobras trouxe prejuízo de 1,18 bilhão de dólares



TCU investiga compra e venda de refinaria da estatal de petróleo brasileira no Texas, um dos piores negócios já feitos na história da empresa

Malu Gaspar

DE PAI PARA FILHO - A refinaria de Pasadena, no Texas: comprada na gestão de Gabrielli, acabou se transformando em um problemão do qual Graça Foster (no detalhe) quer se livrar  (Agência Petrobras e Glaicon Enrich/News Free)

Desde que assumiu a presidência da Petrobras, em fevereiro, a engenheira Maria das Graças Foster, ou Graça, como é conhecida, já teve de vir a público admitir o fiasco em dezenas de perfurações de poços ao longo dos últimos oito anos e ainda dobrar-se diante da alarmante queda no nível de eficiência de suas plataformas. Agora, o incômodo é um daqueles esqueletos escondidos no armário pela gestão anterior que, uma vez descobertos, tiram o sono. O esqueleto em questão é uma refinaria comprada pela Petrobras em Pasadena, no estado americano do Texas. O negócio é um dos mais malsucedidos da história da estatal. Em 2006, a Petrobras comprou 50% da refinaria, ficando a outra metade com a trading belga Astra Oil. A parceria foi desfeita em junho passado depois de acirrada disputa judicial. A Petrobras, então, adquiriu as ações da Astra Oil e ficou como única dona da refinaria. Não se entende por que pagou um preço tão alto por uma refinaria velha e defasada, que só dá prejuízo e dor de cabeça. A estatal brasileira já enterrou em Pasadena cerca de 1,18 bilhão de dólares. Quando, há seis meses, finalmente decidiu livrar-se dela, pondo-a à venda, entendeu o tamanho do rombo. A única oferta recebida - da multinacional americana Valero - foi de cerca de 180 milhões de dólares, pouco mais de um décimo do valor pago. Obviamente, Graça hesita em aceitar a oferta, o que a forçaria a assumir publicamente o rombo bilionário, mexendo em um vespeiro cujas reais dimensões estão sendo investigadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Os detalhes do negócio, aos quais VEJA teve acesso, ajudam a esclarecer por que, dentro da própria estatal, pairam suspeitas de que o caso Pasadena pode não ser um erro de cálculo, um mau passo de gestão, a que todas as empresas estão sujeitas. Nada disso. A compra da refinaria tem o DNA para se tornar um escândalo.

A primeira a levantar dúvidas sobre a transação foi a presidente Dilma Rousseff, em 2008, quando era ministra da Casa Civil e comandava o conselho da Petrobras. A estatal e sua sócia belga divergiam sobre a condução da refinaria, e a Petrobras propôs comprar os 50% restantes. Por quanto? Setecentos milhões de dólares, quase o dobro do que a Astra pagara apenas dois anos antes. Havia até relatórios de consultorias avalizando as cifras. Mas a operação foi rechaçada pelo conselho. "Dilma atacou a proposta e criticou duramente Sergio Gabrielli (então presidente da estatal) diante de todos. Foi constrangedor", lembra um ex-diretor. Para esquivar-se dos ataques, Gabrielli fez circular a versão de que o acordo havia sido negociado pelo homem à frente da área internacional, Nestor Cerveró, sem o conhecimento de mais ninguém da cúpula, nem dele próprio. Nos corredores da estatal, ouvia-se falar de uma certa "carta do Cerveró", documento em que o diretor "entregava o ouro aos belgas". VEJA leu a carta. Ela se junta aos demais documentos que indicam que a diretoria comandada por Gabrielli agiu em benefício dos belgas e contra os interesses da estatal brasileira.

A história revista com os dados disponíveis hoje é assustadora. A Pasadena Refining System Inc. estava desativada quando foi comprada por 42,5 milhões de dólares pela Astra Oil, em janeiro de 2005. Além de antiquada e pequena para os padrões americanos (com capacidade para 100 000 barris por dia), tinha outra limitação mais grave. Ela não estava preparada para processar o petróleo brasileiro, o óleo pesado produzido na Bacia de Campos. Mesmo assim, o brasileiro Alberto Feilhaber, que depois de duas décadas de Petrobras havia se tornado executivo da Astra nos Estados Unidos, encontrou as portas abertas na estatal brasileira. Em janeiro de 2006, Feilhaber conseguiu um feito notável mesmo para a história de grandes e inexplicados negócios da indústria do petróleo. Vendeu metade da planta de Pasadena à Petrobras por 360 milhões de dólares. Uma valorização de 1 500%. "Foi um triunfo financeiro acima de qualquer expectativa razoável", comemorou a própria Astra no balanço daquele ano.

Mas não eram só as cifras que faziam da sociedade com a Petrobras um negócio atraente para a Astra. Ficou combinado que as empresas dividiriam o 1,5 bilhão de dólares necessário para adaptar a refinaria e processar o óleo produzido no Brasil. Em caso de divergência, a estatal se obrigava a comprar a parte da sócia. A Petrobras também garantiu à trading belga uma remuneração de 6,9% ao ano, mesmo em um cenário de prejuízo. Diz o procurador do TCU Marinus Marsico: "Tudo indica que a Petrobras fez concessões atípicas à Astra. Isso aconteceu em pleno ano eleitoral". Concluindo que estava fácil arrancar dinheiro da Petrobras por causa do contrato de pai para filho, os belgas decidiram sair da sociedade. A Petrobras se recusou a pagar os 700 milhões de dólares, preço com o qual se comprometera com os belgas. Eles foram à Justiça americana exigir as garantias contratuais. Quatro anos depois de romper com a sócia, receberam ganho de causa na Justiça e, após um acordo, embolsaram mais 839 milhões de dólares pagos pela estatal brasileira. Nestor Cerveró continua na Petrobras, como diretor financeiro da BR Distribuidora. Gabrielli, saiu da presidência em 2011 e é o atual secretário de Planejamento da Bahia. Dilma Rousseff nunca mais tocou no assunto. Ficou tudo por isso mesmo, com o prejuízo sendo arcado, como sempre, pelos sócios da Petrobras, entre eles, o maior, o governo brasileiro - ou seja, a conta foi mandada para os cidadãos brasileiros.
 




 E tem mais! Se vocês acham que está ruim, pode sempre piorar quando se trata do ilustre "Partido do Tranbique" no comando desta baiúca chamada Brasil...


 22/12/2012 - 06h00
Petrobras tem maior deficit em 17 anos

PATRÍCIA CAMPOS MELLO
DE SÃO PAULO

O Brasil está cada vez mais longe da autossuficiência em petróleo e derivados. O reflexo é que a Petrobras terá neste ano o maior deficit comercial desde ao menos
1995, quando teve início a série histórica da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento.

Até novembro, a diferença entre as importações e as exportações da empresa é de US$ 9,8 bilhões -aumento de 30% em relação a 2011 inteiro. A Petrobras exporta principalmente petróleo e óleo combustível e compra petróleo, diesel e gasolina.

O setor de petróleo e derivados do país como um todo também terá o maior deficit desde 1995: US$ 11,8 bilhões no ano, segundo a Tendências Consultoria.

Com o crescimento acelerado na demanda por combustíveis, as importações da Petrobras cresceram e as exportações caíram.

O aumento da renda real das pessoas e o controle dos preços da gasolina contribuem para aumento no consumo, que cresceu 11,8% para a gasolina até outubro e 7% para o diesel.

O consumo de etanol, que ficou menos competitivo com a gasolina barata, caiu 11%.

"A demanda por combustível vai continuar crescendo, e, enquanto não aumentar a capacidade de refino, será necessário comprar de fora", diz Walter de Vitto, analista da Tendências Consultoria.

O Brasil se tornou autossuficiente em petróleo em 2009, com exportações de US$ 9,2 bilhões e importações de US$ 9,1 bilhões. Hoje, em petróleo, país tem superavit de US$ 5,8 bilhões. Mas o Brasil exporta petróleo pesado e tem que importar petróleo leve.


 "O Brasil exporta o petróleo mais barato e importa o mais caro", explica Maurício Canêdo, economista da FGV.

O refino do petróleo pesado é mais caro e exige mais tecnologia, e o Brasil não tem capacidade suficiente para esse refino.

Neste ano, pela primeira vez desde 1998, a exportação de gasolina vai ser insignificante, e a importação será recorde, de ao menos US$ 2,85 bilhões. O país não importava nada de gasolina até 2007.

No ano que vem, a situação será pior. A Tendências estima que o deficit de petróleo e derivados do Brasil ficará em US$ 17,2 bilhões.

Analistas não esperam aumento significativo na capacidade de refino antes de 2015, quando se estima que a refinaria Abreu e Lima (PE) vai começar a operar.

Segundo a assessoria da Petrobras, o deficit na balança é decorrente de "menor exportação de petróleo devido ao aumento no processamento de petróleo nas refinarias visando atender o crescimento da demanda no mercado interno e aumento na importação de derivados, principalmente diesel e gasolina, para suprir o aumento de demanda do mercado interno não atendida pelo aumento de processamento".

Até o mês passado, o deficit de petróleo e derivados do país foi de US$ 8,7 bilhões. Mas o número deve aumentar bastante devido a uma divergência nas estatísticas da Secex e da Petrobras.

As contas da Secex ainda não registraram cerca de US$ 6 bilhões de importações da Petrobras neste ano.


LINK: Petrobras tem maior deficit em 17 anos



"Quando o público vira PRIVADO... Este é o modo de privatizar do PT: só ELES ganham e o povo analfabeto e alienado PAGA A CONTA!"


sábado, 22 de dezembro de 2012

Carteira HEAVY METAL - Dezembro de 2012 (D.C.)

Composição atual do portfólio HEAVY METAL:

1- Fundos Imobiliários = WPLZ11B, PRSV11, FEXC11B, NSLU11B, FFCI11, EURO11, FPAB11, BCFF11B, FVBI11B, VRTA11 e RDES11 (estes dois últimos são novatos na Carteira HM). Comprei mais cotas de FFCI11 e VRTA11 nas subscrições recentes e hoje tenho 11 FII na CHM. Valor atual de 677.013,30 reais.


2- Ações = ELPL4, CSNA3, BBAS3, WHRL3, RADL3, ETER3, VALE5, EQTL3, GRND3, CMIG3 e CRUZ3 (estas duas últimas são novatas na Carteira HM). Pretendo escolher mais duas novas empresas para meu portólio, queria muito que AMBV3 tomasse uma porrada de uns 20%... Valor atual em ações é de 779.451,00 reais.

3- Previdência Privada = MAPFRE Seguradora, com 70% em Renda Fixa e até 30% em Ações, sem taxa de carregamento e a taxa de administração de 1,4%. Vou chorar desconto nesta taxa de administração, pois 1,4% "tá osso" com os juros atuais do país. Valor atual de 310.656,60 reais.

 4- Renda Fixa = 200.000,00 reais em empréstimos e 171.721,89 reais num Fundo de RF no HSBC. Total de 371.721,89 reais.

5- Dinheiro em Caixa = 149.000,00 reais.
 
 Nos atuais valores dos ativos da Carteira HM, minha distribuição percentual está assim dividida:

1- Fundos Imobiliários (FII) = 29,60%

2- Ações = 34,06%

3- Renda fixa = 16,24%

4- Previdência Privada = 13,58%

5- Dinheiro em Caixa =  6,52%

 Acho que devo aumentar os aportes na Renda Fixa, pelo menos uns 20 a 30% para alocar em outros ativos nos momentos de queda forte (não pelos juros atuais...). Já venho reduzindo os aportes em ações e mesmo garimpar bons FII ultimamente está difícil. RDES11 é um dos FII que estão na minha mira abaixo dos 108,00 reais. CRUZ3, CMIG3 e BBAS3 na mira também para compras "parcimoniosas". Olho na mira, procurando o alvo certo em 2013.


 "All I have is Time... and a Rifle"


Valor Atual da Carteira HEAVY METAL - Dezembro de 2012 (D.C.)

Descrição dos valores dos ativos da Carteira HM no dia 21/12/2012 (o dia em que a Terra NÃO acabou... e minha carteira bateu mais de 2 MILHÕES) :

1- Ações: 779.451,00 reais.

2- Fundos Imobiliários: 677.013,30 reais.

3- Previdência Privada: 310.656,60 reais.

4- Empréstimos: 200.000,00 reais.

5- Dinheiro em Caixa:  149.000,00 reais

6- Fundo de Renda Fixa (no banco HSBC): 171.721,89 reais. 

TOTAL: 2.287.842,79 reais!!!
 
*Proventos recebidos de Outubro a Dezembro: 24.936,13 (proventos de FII, BBAS3, WHRL3, EQTL3 e RADL3) + 6.840,00 (empréstimos) + 183,38 (aluguel de ELPL4) + 19.000,00 (venda de opções VALEB38) + 3.220,00 (lucro realizado em ETER3) = 54.179,51 reais (uma média de 18.059,83 reais de proventos por mês). Este valor foi todo aplicado em novas compras para a Carteira HM.

 *OBS: Recebi ainda 28.470,11 reais de restituição do Imposto de Renda. A soma destes valores dá um total de 72.239,34 reais de proventos, pois a restituição  é um "plus" que entra na conta, teoricamente sem que eu trabalhe por isso (na verdade, trabalhei e recebi de volta...). Este valor está no caixa.
- Fevereiro de 2011: Carteira HM estava em 1.159.000,00 reais.
- Março de 2011: Carteira HM estava em 1.244.801,00 reais.
- Abril de 2011: Carteira HM estava em 1.340.805,17 reais.
- Maio de 2011: Carteira HM estava em 1.386.750,81 reais.
- Junho de 2011: Carteira HM estava em 1.497.167,23 reais.
- Julho de 2011: Carteira HM estava em 1.517.651,68 reais.
- Agosto de 2011: Carteira HM estava em 1.507.762,97 reais.
- Setembro de 2011: Carteira HM estava em 1.568.573,84 reais.
- Outubro de 2011: Carteira HM estava em 1.667.882,48 reais.
- Maio de 2012: Carteira HM estava em 1.897.529,77 reais.
- Junho de 2012: Carteira HM estava em 1.955.386,78 reais.
- Julho de 2012: Carteira HM estava em 1.962.876,80 reais.
- Outubro de 2012: Carteira HM estava em 1.978.245,69 reais.
- Dezembro de 2012: Carteira HM está em 2.287.842,79 reais. 

 Compras dos últimos 3 meses: 100 ações VALE5 (34,70 P.M.), 300 ações CMIG3 (22,06 P.M.), 100 ações CRUZ3 (26,89 P.M. e novata na Carteira HM), 100 ações BBAS3 (22,46 P.M.), 20 cotas de RDES11 (106,00 P.M. e novata na Carteira HM), 50 cotas de FVBI11B (107,00 P.M.), 16.730 cotas de FFCI11 (1,88 P.M., subscrição) e 610 cotas (250 cotas na subscrição por 115,00 reais e as 360 cotas restatantes por 122,31 reais = 119,31 P.M.). 

 O aporte mensal na Previdência Privada está em 2.500,00 reais. Apliquei 42.000,00 reais na Renda Fixa, saindo do CDB para um Fundo de RF que tem batido com folga o CDB e com 0,5% de taxa de administração - no HSBC. 

 Além da aplicação dos proventos recebidos (54.179,51 reais), coloquei "dinheiro novo" na Carteira HM nestes últimos 3 meses, no total de 160.490,00 reais - 110.990,00 em ações e FII + 42.000,00 na RF + 7.500,00 na P.Privada. Muito deste dinheiro foi para as subscrições de FFCI11 e VRTA11 + compra de cotas a mercado de VRTA11.
 
 Fiz também a venda de 1.900 ações ETER3 com lucro por 9,01 reais devido ao "proibe ou não proibe" do amianto e mantive apenas 600 ações. Pretendo voltar no ativo, mas moramos no Brasil e vocês sabem a cacetada que ela pode tomar se proibirem o uso do amianto, nada menos que 50% do seu preço de mercado isso pensando de forma "positiva".
 
 O valor somado do Dinheiro em Caixa (149.000,00 reais) com os aportes feitos na Carteira HM até a presente data - incluindo os Proventos e Dinheiro Novo (1.182.159,19 reais) - dá um total de 1.331.159,19 reais aplicados desde Fevereiro de 2011.

 A)
2.287.842,79 (valor atual) - 1.159.000,00 (início da Carteira HM) = 1.128.842,79 reais de Valorização Bruta em 22 meses, que equivale a 97,39%. Nota-se que isso se deve ainda aos aportes feitos, uma hora esta bagaça tem que "andar com as próprias pernas"!!! Hehehehe...


 B) 1.331.159,19 (aportes totais + dinheiro em caixa) - 1.128.842,79 (VB) = 202.316,40 reais de déficit nos rendimentos da carteira em 22 meses .

C) 202.316,40 (déficit) / 2.490.159,19 (soma dos aportes + valor inicial da CHM) =  são exatos -8,12 (desvalorização real da Carteira HM, em 22 meses). Houve uma melhora de 4,59% no déficit, e caso ELPL4 comece a subir (é a atual "âncora" afundando a CHM) terei uma bela surpresa em poucos meses e talvez até possa ver este déficit positivar. Lembrem-se sempre que este valor é maior, mais negativo, pois neste período minha carteira perdeu para inflação (e além dela).
 
 Deveria ter hoje o valor de 2.490.159,19 reais em Carteira somados com no mínimo a correção da inflação do período (cálculo mais justo), mas tenho paciência e metas a alcançar. Repito: não deixei de viajar, comer bem, descansar quando tive oportunidade ou comprar aquilo que precisava. E em Fevereiro de 2013, estarei na Disney novamente com minha família! Serão 15 dias ao melhor estilo "nada para fazer". Alcancei os 2 milhões de reais e NADA MUDOU EM MINHA VIDA. Não fui na loja da Ferrari ou comprei um relógio de 40.000,00 reais,  mas dei uma bela jóia de presente a minha esposa, paguei 17.000,00 reais e fiz isso FELIZ como "pinto no milho" (como faço há 5 anos todo Natal). 

 Minha meta atual é bater os 20.000,00 reais de proventos por mês (em 2012 a média foi de 18.965,89 reais por mês). E fazer minha "bola de neve" crescer mais e mais. Se Deus quiser, quero chegar aos 45 anos recebendo 30.000,00 reais (ou mais!!!) por mês de proventos. Sonho? Não... eu também achava que ter 1 milhão era apenas sonho anos atrás. 

 Guardem esta frase: "Não sabendo que era impossível, foi lá e fez"  (Mark Twain).

 Fica aqui minha homenagem aos amigos que seguem o Blog HEAVY METAL, um feliz Natal e um 2013 com saúde, paz, felicidade e se possível dinheiro. A Carteira HM renasce das cinzas...


"Never retreat, Never surrender!!!"