HEAVY METAL Investidor: Enquanto a maioria reclama da chuva, outros ganham vendendo sombrinhas. Ou: por que uns são ricos e outros não?

sábado, 29 de junho de 2019

Enquanto a maioria reclama da chuva, outros ganham vendendo sombrinhas. Ou: por que uns são ricos e outros não?


 Boa noite, macacada! Sabadão foi de sol e de descanso, dia de colocar na tela aquilo que fica "passeando" na cabeça por um tempo... mas uma hora vira texto. Este post surgiu após observações que fiz anos atrás, ano passado, semana passada, ontem... e com certeza farei hoje, amanhã e nos anos que ainda estiver vivo. A natureza humana só muda quando algo é impresso no seu DNA, antes disso não há evolução - exceto, por uma mutação ou um milagre.

 Por que algumas pessoas são ricas e outras não? Por que a maioria reclama da vida, enquanto outros usufruem da riqueza que este mundo nos permite? Por que numa mesma profissão, temos alguns ricos e outros chorando miséria o tempo todo?

 Vocês já perceberam como as pessoas constantemente dividem tristeza, dor, dívidas, problemas e reclamações aos montes, mas raramente dividem conhecimento, fraternidade, respeito, amor, confiança, energia positiva. Qual a razão disso?

 Condições de educação iguais ou de "oportunidades para todos", como muitos gostam de falar a todos os cantos da galáxia, nunca criarão pessoas iguais - seja em termos de educação ou de riqueza que possam acumular. Como disse Milton Friedman (libertário, economista, estatístico, escritor, seguidor de Ayn Rand, recebeu o prêmio Nobel de economia em 1976), "a corrida econômica não deve ocorrer de forma que todos cheguem juntos, e sim de forma que todos comecem juntos".

 A linha de chegada, meus amigos, é reservada apenas para aqueles que se esforçam mais, que privam-se de coisas hoje para tê-las amanhã, para os inovadores, para os que acreditam e batalham em busca de metas, para os que sabem o valor do sacrifício e da dedicação naquilo que fazemos, como fazemos e pensando em dar sempre o melhor ao nosso próximo (seja no dia a dia ou em nosso trabalho). Sim, seu cliente é seu "próximo", seu porteiro é seu "próximo", seu paciente é seu "próximo", seu aluno é seu "próximo", seu sócio é seu "próximo" e assim por diante. 

 E os que seguem este blog sabem que não uso de firulas ou sofismas para me explicar, justificar ou tentar esclarecer meu ponto de vista. Sou direto e objetivo. Mas nada é por acaso. Enquanto digitava este texto, pesquisei no Google por "frases de Milton Friedman... mesma linha de partida e não a de chegada". Olhem o link que encontrei: Mesmo em uma sociedade com igual ponto de partida, haveria capitalistas, assalariados e desigualdade

 Com todo respeito, PUTA QUE PARIU! Entrei no site Mises Brasil raras vezes na minha vida, não conhecia este post e por favor, leiam o que lá está muito bem escrito. Coincidência? Não acredito nisso. 

 Um print de parte do texto:


 Considerando aquilo que eu costumo chamar brincando, analogamente, de CNTP (condições normais de temperatura e pressão, lá da aula de Química do tio Alberto) mas eu uso como "condições normais de treinamento e produção", situação onde todos tivessem teoricamente a mesma boa qualidade de formação educacional primária e superior, todos na "CNTP", aptos a produzir e trabalhar de forma igual cada um em sua profissão escolhida. Por que uns tem sucesso, enquanto outros vivem a reclamar da vida? Culpa dos outros? 

 Simples: porque reclamar é muito mais fácil que agir e assumir riscos, que investir em conhecimento e treinamento e se diferenciar da massa ao seu redor, do que se especializar, atender bem quem recebe nossos serviços, que empreender. Por isso, no Brasil atualmente milhares buscam muito mais por concursos para empregos públicos do que abrir um negócio próprio ou ser um profissional liberal: é de certa forma mais cômodo, mais "seguro", "salário garantido", não podem ser demitidos invariavelmente e a avaliação da qualidade (no geral ruim) dos seus serviços pelo crivo popular não consegue mudar ou melhorar os mesmos serviços - fora os absurdos altos salários para alguns cargos. E inúmeros continuam a espera de aumento de salário e da ajuda do Estado. Mais e mais estado, mais e mais impostos de alguma maneira em nossas vidas. A ilusão da carteira assinada é a mesma coisa, mesmo na iniciativa privada, pois o salário é um ganho fixo. 

 O ser humano prefere "ficar na caverna", é quase que um instinto natural. Lutar? Emprender e ser profissional liberal (de verdade) significa peleja, pagar muitos impostos, fiscalização pesada, alto passivo trabalhista, muitas despesas, dor de cabeça! "Correr riscos? Jamais! Prefiro a segurança... mas reclamo dela também!".

 Como na caverna de Platão, a grande maioria pensa que muito melhor do que sair de lá é ficar. Louco, é quem tenta fugir da caverna, da "Matrix Mental" da pobreza financeira e de espírito. A pior pobreza, tenham certeza, é a espiritual. Da financeira, é muito mais fácil de se libertar.

 Também no Darwinismo, a "seleção natural da espécie" quando fazemos uma analogia quanto ao alcance da riqueza financeira, ou de busca pela Independência Financeira, passa obrigatoriamente pela adaptação de cada um de nós ao mundo em que vivemos. Quem se "adapta" melhor, quem corre mais riscos, quem usa as ferramentas corretas (poupar, estudar, trabalhar muito, vida frugal, emprender, juros compostos, criar novas fontes de renda, reinvestir e tempo) vence o jogo. Seja em 10 ou 30 anos, mas chegará lá. Cada um a sua maneira, com um patrimônio diferente, mas jamais será um "futuro pobre". É um jogo de soma positiva, se jogado corretamente.

 "Mas Heavy Metal, todo mundo então deve deixar de ter um emprego e todos serão agora empreendedores ou profissionais liberais?". Não falei isso. Você pode ter seu emprego (renda fixa) e tabém outra(s) forma(s) de renda(s) (renda variável) na iniciativa privada, somando ganhos em ambos. Pode estar somente na "renda variável", onde há mais risco, mas pode gerar mais retorno. Ou, pode estar feliz com seu emprego e com quanto ganha. Só não vale estar, de forma consciente, numa renda fixa e almejar retornos de renda variável.

 Vejam as histórias ao redor de vocês, vejam a lista dos mais ricos do mundo na revista Forbes: tem alguém ali que ficou bilionário sendo assalariado, com valor fixo?

 Nem todos terão a visão e a mentalidade de fugir da corrida dos ratos, da Matrix, muitos rejeitam a pílula vermelha (kkkkk, no filme é dessa cor, infelizmente) que os acordaria para a realidade em que vivem. O mundo nunca será justo, nem igual, mas pode ser melhor para quem busca por isso.

 Não é mágica, nem milagre, nem papo furado. É pura matemática e eu acredito particularmente na física associada: ação e reação. Sua empresa se preocupa de verdade com o serviço que presta? Você é sincero com seus clientes? Seus empregados? Você realmente busca honestidade, transparência e excelência naquilo que faz? Você é qualificado? O universo vai te dar o mesmo retorno das suas ações, nunca duvide disso. 

 Comece a ficar rico hoje, primeiro mudando a sua MENTALIDADE. 

"Mindset Positivo", para quem gosta de usar palavras sofisticadas em inglês, nada mais é que a velha "boa mentalidade", a sua cabeça, seja em português ou inglês, chinês, japonês... nada além disso.

 A grama do vizinho não é mais verde: você que não soube cuidar do seu quintal. Pare de culpar os outros por seus insucessos ou infelicidades, se deu errado procure melhorar e mudar! Pare de ter inveja e busque se libertar através do conhecimento e do TRABALHO. Sucesso só aparece antes de trabalho no dicionário. 

 Se você estiver vivo e saudável, você pode fazer algo. Indepedente de sua profissão, olhe ao seu redor e verá pessoas de muito sucesso na sua área enquanto outras só reclamam. É culpa da profissão? É mesmo? Se fosse assim, todos numa mesma profissão estariam reclamando de "ganhar pouco". Procure saber o que estas pessoas de sucesso fizeram para ter sucesso, ao invés de se lastimar o tempo todo. Reclamar do vento, não mudará o rumo do barco no meio da tempestade.

 E temos que lembrar de várias pessoas que mal estudaram e se tornaram milionárias ou bilionárias. Essas então, deveriam estar todas na miséria se fossemos seguir o mimimi da "falta de oportunidades". Uma coisa nunca deve ser ignorada: enriquecer, normalmente, leva TEMPO. Muitos querem ficar ricos em 3, 4 ou 5 anos e frustram-se com a realidade nua e crua. Novas "Betinas" surgem todos os dias e desaparecem na mesma velocidade. 

Para concluir, deixo claro alguns pontos:

- Que obviamente, nada tenho contra funcionários públicos, pois sem eles o país não funcionaria. Detesto funcionários ruins, sejam privados ou públicos. E também acho absurdo os altos salários de alguns, que nem no setor privado existem, enquanto um policial militar recebe uma MISÉRIA (isso sim, eu afirmo) para correr risco de morte todos os dias de sua vida. É duro ver pessoas com emprego público, que recebem salário, tem curso superior e reclamando de dinheiro. Minha dica: venha para iniciativa privada! Bem vindo ao clube dos não assalariados. Gosta do seu emprego e salário? Que bom, precisamos de funcionários públicos felizes e capacitados, que atendam bem a população. E mesmo estes, podem sim enriquecer de forma lícita, seguindo o caminho correto.

- Não temos no Brasil as "CNTP" que citei no meu texto, para a maioria de nossa população mas temos sim para um grupo grande de pessoas. Seria injusto afirmar isso, quero muito que um dia nosso país chegue lá, pois quem gosta de pobreza é político corrupto (sobrevivem da miséria alheia coletiva). Mas, mesmo entre os mais desamparados seja na educação ou financeiramente, temos vários exemplos de gente que saiu do nada para o topo. Sorte? Jamais!

- Descarto do meu texto toda e qualquer pessoa que enriqueceu usando caminhos ilegais. Propina, corrupção, "QI" quando foi indicado a um cargo por amizade (e não por competência), roubo, fraudes, etc... Isso não é ser rico: é ser desonesto. 

 Quer ficar rico? Primeiro, abandone sua pobreza mental, mude sua mentalidade e mudará seu futuro junto. Estude, empreenda, trabalhe, poupe, invista, ARRISQUE-SE, procure fontes de renda alternativas ou especializações em sua área que paguem melhor, preocupe-se de verdade em ser transparente no seus negócios. Riqueza atrairá mais riqueza, pobreza (de qualquer tipo) atrairá mais pobreza. 

 Não precisa acreditar em mim, nem em absolutamente nada do que escrevi. Eu mudei, acreditei e estou hoje satisfeito - isso me basta. Tudo começa e termina na sua atitude, na sua cabeça. Segue uma página do livro "Arriscando a Própria Pele", do Nassin Taleb e prestem atenção nas duas frases grifadas:



 Desejo a todos um ótimo Sábado, me preparando para ir para um show de Rock "du Caralho" hoje à noite. 



 Vídeo bacana, do Arnold Schwarzenegger falando (sim!) sobre economia e Milton Friedman:



16 comentários:

  1. Respostas
    1. Fico feliz, pois você é um cara que tenho como referência.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Falei o que penso e sinto, de forma educada mas sincera. Nada além disso. Bem vindo ao Blog.

      Excluir
  3. Olá Heavy Metal, teu texto é muito bom.

    Trabalho todos os dias para resolver essa questão da "pobreza espiritual". Na nossa sociedade, as pessoas demonizaram a questão da ambição humana. Querer ser rico ou até mesmo só querer uma vida financeiramente confortável (meu caso) é visto como algo pecaminoso e não digno. As pessoas ao teu redor, que na verdade têm inveja da sua força de vontade, já dizem que ou você é um psicopata, ou você irá se perder. Usam de argumentos políticos e religiosos. Deixei de me preocupar com tais pensamentos alheios, pois eu tenho a consciência limpa de que ao querer vencer de forma honesta eu não estou cometendo nenhum crime.

    Na minha opinião - minha família já foi dependente de auxílio governamental - temos que ver o Estado como um investidor, e não como um provedor. Ele investe em você através de auxílios, bolsas - falo isso para quem está pobre no momento - não para só te sustentar, mas para permitir que você consiga elaborar planos para sair daquela situação. Infelizmente, aqui no Brasil as pessoas veêm a figura do Estado-Mãe, e é por isso que o país nunca irá para frente.
    Já quanto a Religiosidade popular, essa também infecta a mentalidade das pessoas. O religioso sabe de todos os dogmas de sua religião, mas não os coloca em prática. Ser religioso não é sinônimo de bondade ou sucesso, foram os religiosos que mataram Jesus Cristo. E Deus quer filhos autossustentáveis, e não que se aproveitam dos outros. Ninguém é perfeito, e você não é mais ruim só porque tenta melhorar de vida.

    Falo isso pois várias religiões pregam a humildade como um estilo de vida digno que traz a salvação. Isso faz com que as pessoas confundam HUMILDADE com POBREZA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, ilustre leitor!
      Acabei de acordar da noitada de ontem, onde fui a um show de Rock com minha esposa e foi muito legal. E que ALEGRIA acordar, abrir meu blog e ver um texto primoroso como o seu. Certas coisas me emocionam, acredite: você me emocionou.
      Você mostra que foi iluminado, que não implica em nada de religioso na palavra. Você de alguma forma entendeu que merece uma vida mais rica e a terá. Pena que não sei o seu nome.
      Peço apenas que leia o próximo post que escreverei hoje, em sua homenagem e juntando “pontos” de conversas que tive recentemente. Nada é por acaso.

      Excluir
    2. Talvez! O que tem que ser, será, meu amigo Poney. Bem vindo aqui.

      Excluir
  4. Você mantém um padrão de mentalidade positiva e realismo desde o início das suas postagens.A prova do sucesso é a evolução do seu patrimônio! Um exemplo gratuito a ser seguido. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VI, como na saúde precisamos de "mens sana in corpore sano", sem a mente, os investimentos também não vão pra frente. O "start" da riqueza começa na mentalidade e na mudança de hábitos e atitudes. Disciplina espartana. Tamo junto.

      Excluir
  5. Perfeito o seu texto, cara. Parabéns!
    Me fez lembrar que preciso ler Friedman e Taleb, que estão na minha lista.
    Muita paz e sucesso na sua vida!

    ResponderExcluir
  6. Olá, HM.

    Parabéns pelo excelente texto. Enquanto a pessoa não parar para pensar e ficar só reclamando, culpando o próximo ela nunca vai para frente. Eu mesmo já fui um chorão, pois eu estava no meio de chorões também. Depois que parei para refletir e mudar minha mentalidade as coisas começaram a melhorar para mim. Chorar não vai levar a pessoa para frente se ela não agir.

    Eu já li esse livro do Taleb. Tenho que revisa-lo, pois é um excelente livro.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CI, bem vindo! Revi alguns amigos de infância uns meses atrás, numa festa. Tive a chance de matar a saudade, de ver gente que não via há mais de 20 anos. E aproveitei para perguntar como estavam, sutilmente, financeiramente. Acredite: maioria vivendo no aperto. De um grupo de quase 40, apenas 5 (6 comigo) tem uma boa vida financeira. Renda passiva, eu e apenas mais um (que nunca imaginei que chegaria longe, chegou!).

      Educação financeira no Brasil é tabu ainda.

      Excluir
  7. Muito bom HM!

    Eu ando evangelizando uma galera por aí com esse discurso mostrando que qualquer um pode, basta vontade. Foi por isso que criei uma série chamada investindo com pouco dinheiro onde mostro a carteira da minha filha que começou com 40 reais. Ela
    Fechou o ano com mais de 800, isso com 11 meses de aportes. Vamos ver ano que vem, daqui a dois anos, daqui a cinco anos e daqui a 10 anos. Vou relatar tudo principalmente pra mostrar para aqueles que dizem que não da pra começar com pouco.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BP, sigo seus posts e acho um barato! Quem vive de reclamar cava sua própria cova da pobreza.

      Excluir

Conto com a boa educação e colaboração de todos! Comentários ofensivos não serão publicados. Aqui, compartilhamos uma jornada rumo à independência financeira.