HEAVY METAL Investidor: Jamais confie em aposentadoria pelo INSS: só você pode se aposentar dignamente!

domingo, 27 de outubro de 2019

Jamais confie em aposentadoria pelo INSS: só você pode se aposentar dignamente!

 Boa noite, macacada! Acabo de chegar da Suíça, de férias com minha esposa, acordei as 11:30 horas (adoro acordar tarde no Domingo) e fui direto pro computador para escrever este post, o qual já havia decidido escrever durante a minha viagem - claro, só faria isso ao final da mesma.


 No dia 17/10/19, vi este post no site INFOMONEY (LINK: Quanto dinheiro você deve ter guardado em cada idade para a aposentadoria) e fiz questão de ler o mesmo. Afinal, teoricamente falava de alguma maneira sobre IF e educação financeira. Postarei os prints das imagens do referido post, datado como 05/06/19 no site citado, com meus comentários a seguir. Sigam meu raciocínio, por favor.




 A reforma da previdência despertou a preocupação dos brasileiros para como eles iriam se aposentar de agora em diante e quanto iriam receber na aposentadoria, nada mais que isso. Além de expor o que nós todos aqui já sabíamos: existe uma casta de privilegiados no Brasil, que são os funcionários públicos (LINK: Quem são os privilegiados da Previdência), e além disso, geram maior déficit na Previdência que o setor privado (LINK: Funcionário público paga mais, mas gera maior déficit na previdência). 

 Hoje, o setor privado com mais de 35 milhões de contribuintes gera um déficit de 5.771,42 reais per capita; enquanto o setor público com 4 milhões de servidores, gera 44.750,00 reais de déficit. Numa matemática simples, a diferença é de "apenas" 87,11%. Sem falar que muitos servidores públicos se aposentam incluindo vários penduricalhos, com valores de aposentadoria acima de 200.000,00 reais em alguns casos, além do salário ser integral para servidores federais que ingressaram antes de 2003 (40% do total de servidores). 








 Por último, também retirado do mesmo link acima, o benefício de aposentadoria médio do servidor público é 10x maior que o aposentado pela iniciativa privada (que também inclui o INSS pago como autônomo). São dados assustadores. Entretanto, tudo isso segue a atual legislação e os funcionários públicos não tem culpa pelo que recebem. Errados estão nossa legislação que permite tudo isso e nosso Congresso e ex-presidentes, que vivem de comprar votos e evitaram agir e tocar em assuntos necessários e polêmicos, como a reforma da previdência, que já deveria ter ocorrido há mais de 20 anos atrás - mas, como sempre, os socialistas adoram voto de cabresto, populismo sujo e detestam ir hipocritamente contra "o povo". 



 Após este breve resumo também sobre o déficit da previdência pública (quem depender dela estará "fudido e mal pago", jargão antigo), na minha opinião nada foi criado de alerta para o brasileiro em geral (99,9% deles). Nada que o fizesse "pensar no futuro ou IF", mas apenas criou o sentimento do medo de perda financeira, com cada lado com força política puxando para si um ou outro benefício, nesta atual reforma. O sentimento de fazer o certo pelo coletivo, por todos e não apenas para um grupo, praticamente inexiste em nosso país.

 Pelo que pesquisei, os "56% de brasileiros que poupam" citados no post da Infomoney (como dados da Anbima) não batem com o que li. No site do Banco Mundial, há uma página chamada "GLOBAL FINDEX" ("Global Financial Inclusion"The Global Findex Database 2017e nela, um link (este aqui: FINDEX: dados do Brasil) que mostra que menos do que 15% dos brasileiros realmente pouparam alguma coisa em 2017 (pelo que li e vi, 14,5%) e os que pouparam para se aposentar, que é o cerne de nossa discussão, apenas 10,9%



 Seguindo novamente com a análise do post da Infomoney. Método "1,3,6,9":



 Claramente, pelos números propostos no artigo supracitado, pedindo para somar a poupança  anual do suposto cidadão com o "provável" benefício futuro do INSS, a conta não fecha! Essa conta é absurdamente falha, eles sequer consideraram a inflação no período. E contar com INSS? Nenhum educador financeiro sério conta com isso. 

 Que garantias temos que a lei no Brasil vale alguma coisa? Qual será o perfil do próximo presidente do Brasil, em 2022, que pode jogar pra torcida e mudar tudo de novo? Qual é a estabilidade política, num país socialista como o nosso, com 35 partidos políticos e (pasmem...) 75 novos partidos com pedido de registro no TSE, com mais de 17.000 sindicatos e um STF que legisla? Basta que apenas um "deus do Olimpo, do sagrado STF" venha a acatar uma ação judicial de "inconstitucionalidade" e toda a reforma da já falida previdência irá pro espaço. Não temos segurança jurídica ou política aqui. Nunca dependam do governo, seja ele qual for.

 Consideraram um salário base de 10.000,00 reais, primeiro grande erro da matéria. A renda per capita média do brasileiro em 2018, foi de míseros 1.373,00 reais. Como falar ou ensinar sobre IF e aposentadoria sem usar dados reais, para pessoas sem educação financeira - isto é, 95% ou mais do país? 

 Pessoas simples entendem coisas explicadas de maneira simples. Usar 10.000,00 reais de salário base, como fator para fins de facilitar cálculos matemáticos, é bom apenas para quem escreveu a matéria. Para quem começa a ler o texto e dá de cara com as palavras "salário de 10.000,00 reais", muitos nem terminam de ler o texto. "Esse negócio de guardar dinheiro é pra gente rica, eu sou pobre", esta é a resposta que mais de 90% dos brasileiros responderiam diante deste texto. E faz sentido: falam de temas importantes, mas da maneira errada. Olhem o que uma leitora do site (Soraia) comentou, no final do post que estamos discutindo:


 Por sorte, um outro leitor (Erlon), que mostrou ter educação financeira, respondeu a mesma de forma educada e competente. Mas vocês acham que ela aprendeu alguma coisa com o o post da Infomoney ou com a resposta do Erlon? Duvido muito. Educação financeira no Brasil é raridade, além de ser tabu ainda. Por isso, a abordagem inicial é fundamental. Nosso povo "investe" na poupança, 85% dos brasileiros que poupam! Continuemos a avaliar o método "1,3,6,9":


 

 Aos 65 anos, ter 1.080.000,00 reais poupados para sua IF é muito pouco na minha opinião, ainda mais contando com o improvável benefício de INSS junto (piada): num cálculo simples, seriam 27.000,00 reais poupados por ano, dos 25 aos 65 anos (40 anos) e sem usar juros algum na conta. Claro que cada um sabe quanto ganha e quanto pode poupar, mas dizer que desta maneira, aos 65 anos alguém teria "o mesmo padrão de vida na aposentadoria, sem que a pessoa precise trabalhar", discordo com veemência.



 E erram ao colocar a TPPA (taxa pessoal de poupança anual, citada em posts meus anteriores) aos 20 anos como 15% e aos 50 anos como 50%: deixam de usar o tempo e os juros compostos a nosso favor! 

 Cortam duas pernas dos pilares da IF de uma vez só. Além do mais, quanto mais jovem somos, muito mais fácil poupar e aprender a poupar. Fora que geralmente, quando jovens, temos gastos bem menores por morarmos com nossos pais. Ideal, mínimo de 25 a 30% de TPPA, sendo 50% um percentual ótimo (quem ainda não leu, sugiro ver este meu post sobre IF - Qual valor define minha independência financeira?).

 E vejo mais ainda: o cálculo deve ser baseado em quanto nós gastamos por ano, não em quanto ganhamos! Pergunta simples e cálculo básicos, igual na padaria do seu Joaquim portuga: Ganho 100 mil por ano e gasto 85 mil, outra pessoa ganha 70 mil e gasta 30 mil. Quem tem melhores números? 

 Não adianta ganhar 10 mil reais por mês e gastar os mesmos 10 mil. O cálculo deve ser sobre nossos gastos, simples assim. E o autor ainda solta uma pérola, que vai contra tudo que aprendi sobre IF. 

 "Naturalmente, quanto mais os anos se passam, mais difícil fica chegar ao valor desejado." 

 É exatamente o oposto disso que ocorrerá, se seguir os passos corretos na jornada para a sua liberdade financeira e chegará sem depender de INSS (se tiver, melhor ainda!). Comece com uma taxa de poupança pessoal anual (TPPA) menor e aumente a mesma progressivamente, o mais cedo e rápido possível, até chegar na sua zona de conforto (30% a 50%, porcentagens ótimas, sem precisar se matar para alcançar). Segue um print de parte do meu post sobre IF:



 Depois, indicam um segundo método de poupança, no mesmo post, baseado na "renda líquida".


 Mais uma vez, os dados não batem com nada do que vemos, lemos e estudamos na "FIRESFERA" (termo cunhado pelo amigo, AA40 em seu blog APOSENTE AOS 40 - Firesfera). O valor final de 795.185,22 aos 65 anos de idade é ainda pior que na primeira simulação. 

 Outro dado relevante, de acordo com o sexo, é a atual expectativa média de vida no Brasil, que é de 76 anos (para homens é 72,5 anos e mulheres é de 79,5 anos, dados do IBGE - 2018). Usam um cálculo para gastos com aposentadoria dos 65 aos 85 anos, sendo que para homens a expectativa real de vida ficaria dos 65 aos 73 anos, 8 anos a mais apenas de vida - e não 20 anos, como sugeriram. Aposentar aos 65 anos, é se matar de trabalhar e poder "curtir a vida" quando já perdemos duas coisas que são das mais valiosas: saúde e tempo. Muito melhor a IF mais cedo, ou a semiaposentadoria. Por isso também, para mim este artigo foi muito falho.

 Entre a desinformação e a pouca informação financeira, prefira algo melhor ainda: a educação financeira de qualidade! Claro que ter alguma coisa é melhor do que nada; ter 1 milhão de reais aos 65 anos de idade, como sugeriu o artigo da Infomoney, é muito melhor que ter apenas o INSS para te sustentar. Mas o foco aqui, é outro. Você pode ter muito mais do que isso, sem depender de INSS. 

 Minhas dicas a você que quer sua FIRE, IF ou semiaposentadoria:

1- Cuidado com sites de investimento, muitas vezes erram ou informam mal os seus leitores. O pior é que quem escreve, teoricamente, tem um bom currículo na área de investimentos. Cuidado e canja de galinha sempre, pois não fazem mal.

2- Você é o único responsável por seu futuro financeiro rico e independente, ninguém mais. Por isso, estude e faça isso de forma profissional, faça seu próprio caminho. Se engana quem acha que consultores e analistas sabem mais que muita gente que escreve e estuda o mercado financeiro, pois conhecimento é algo livre e aceita novos donos a todo momento. 

3- Esperava mais de um site como Infomoney. Pelo menos, que fizessem este post com considerações finais, explicando ser este um texto para iniciantes e que existem sim outros textos, matérias e métodos mais aprimorados para se atingir uma aposentadoria mais rica ou a IF - e sem contar com algo complicado, como o falido INSS.

4- Diante de tudo que mostrei aqui, e olhem que poderia ficar por horas escrevendo sobre isso, jamais confiem no INSS para se aposentar, pois as regras do jogo, no Brasil, mudam ao sabor do vento e do governo. Contem apenas com sua jornada de independência financeira e nada além disso. O resto, se vier, é bônus.

5- A culpa do rombo no INSS é exclusivamente dos nossos políticos corruptos e sindicatos criminosos, ineptos e populistas que tomaram conta do Brasil, não dos funcionários públicos como um todo. O déficit de 2010 para 2018 subiu 159 bilhões de reais (de 43 para 202 bilhões!). Era algo controlável, 43 Bi, mas virou um monstro. Falam em justiça social, com desembargador aposentado recebendo mais de 200 mil reais? Com filha de militar, que não se casa no papel (muitas são casadas e não oficializam a união) e recebe pensão integral do pai falecido? Somente estas super-aposentadorias custam, juntas, mais de 22 bilhões de reais por ano aos cofres públicos, num país onde 65% dos aposentados recebem um salário mínimo. 

 A atual, pode não ser a melhor reforma da previdência, a qual para ser ideal depende de um Congresso honesto (KKKKKKKK... só rindo), mas o atual governo teve a coragem de propor e apoiar a mesma, enquanto os canalhas de sempre faziam oposição eleitoreira e tentaram sabotar de todas as maneiras possíveis. 




"Ou encontro um caminho, ou farei um" (General Aníbal Barca)


28 comentários:

  1. Olá HM,
    Concordo com seu post, porém, parece haver uma confusão no que tange a sobrevida dos brasileiros. A expectativa de vida do brasileiro (72,5 homens/ 79,5 mulheres) refere-se à expectativa de vida ao nascimento, por isso também chamada de esperança de vida ao nascer.
    A expectativa de vida de uma pessoa aos 65 anos hoje (último censo 2017, na verdade) é de 16,9 anos para homens e 20,1 anos para mulheres, atingindo, assim, idades de 81,9 e 85,1, respectivamente (tábua de sobrevida, ou, se desejar para maiores de 80, tábua de sobrevida extrapolada). Assim, projetar uma aposentadoria de 20 anos é bem razoável.
    Portanto, "...para homens a expectativa real de vida ficaria dos 65 aos 73 anos, 8 anos a mais apenas de vida - e não 20 anos, como sugeriram..." poderia e deveria ser retificado.
    Mas ainda assim concordo com suas conclusões, que para mim a principal ainda é não depender do governo ou de quem quer que seja.
    Cordialmente
    Leandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Leandro, prefiro a expectativa de vida real. Adivinhar quem chegará aos 65 é o mais difícil. É um dado mais confiável do que contar com quem irá chegar aos 65 anos. Sei que usam tábuas atuariais no INSS, como é em qualquer grande seguradora. Mas vejo um aumento de população, sem melhora de educação, saúde, etc... Interessante é que mesmo assim, a expectativa de vida média do brasileiro vem subindo - sabe Deus como.
      Obrigado por seu comentário!

      Excluir
    2. "a expectativa de vida média do brasileiro vem subindo - sabe Deus como."

      Porque a expectativa de vida média está mais relacionada à morte de crianças de 0 a 5 anos do que a longevidade em si. E a morte de crianças de 0 a 5 anos diminuiu muito no Brasil, e em países semelhantes ao nosso economicamente.

      Isso joga a média para cima.

      Os idosos não passaram a viver mais "da noite pro dia". As crianças que passaram a morrer menos.

      Excluir
  2. Não sei como esses ditos "educadores financeiros" ainda lançam o INSS na pesquisa daqui 30, 40 anos. Até lá acredito plenamente que no máx 20% estará recebendo salário mínimo e o resto nada caso nao acabe daqui 30 anos.

    Outra coisa que me irrita é quando dizem para aportar 10, 15% para daqui 30 anos de um dinheiro. A pessoa precisa ser radical. Como voce disse, no mínimo 30% (nao contando com a piramide INSS). Abaixo disso é melhor o cara ainda contar com algum emprego ou renda.

    Sou funcionário público do baixo escalao do executivo. Vejo muitos do alto escalao que deveriam ganhar 16k líquidos (abarrotados em emprestimos consignados). Esses mesmos que deveriam ter este salário líquido costumam receber 5 a 6k líquido. Já vi casos de funcionários públicos com mais de 8 empréstimos consignados de 96 meses cada!!! Acreditam plenamente na latada da tal ESTABILIDADE e vivem como se nunca fosse acabar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GA, meu pai que era aposentado tinha 80% da renda dele toda tomada por empréstimos consignados. Descobri isso no extrato do INSS dele após seu falecimento, nunca me falou nada. E ele recebia apenas dois salários mínimos, não era funcionário público.
      Tem muito funcionário público que faz jus ao que ganha, sei e tenho certeza disso. Mas existe um grupo milionário, uma casta e que tem uma penca de penduricalhos (ex: judiciário). Isso é absurdo, é legal mas é imoral.
      Poupar 15% ao ano do que se ganha, exceto que você remunere isso com 15% ou mais ao ano e comece muito cedo (20 anos), é pouco. Os cálculos realistas usam de 4 a 8% ao ano de juros sobre o capital poupado.

      Excluir
  3. Cara, primeiramente parabéns pelo post bem detalhado.

    Como eu queria que o governo não me obrigasse a "investir" parte do meu salário da forma como ele quer, isso me deixa extremamente chateado. E como não temos como mudar isso, gostaria muito que meu emprego atual me pagasse por prestação de serviços (PJ) que pra eles seria o mesmo desembolso e pra mim seria um baita aumento.

    ResponderExcluir
  4. EI, eu queria ter uma forma legal de ir a Justiça e pedir para devolverem o que paguei até hoje e nunca mais ter que pagar. Assumiria um contrato público em que eu abro mão de qualquer ajuda do INSS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostaria disso. Bem que o Paulo Guedes poderia apresentar isso! kkk

      Excluir
  5. Excelente postagem HM,

    É impressionante o nível de desinformação desse artigo do Infomoney, o melhor artigo que eu já li sobre este tema foi esse: https://www.mrmoneymustache.com/2012/01/13/the-shockingly-simple-math-behind-early-retirement/

    Daqui a alguns anos será necessário outra reforma e a maioria só irá perceber que o INSS é uma furada tarde demais

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Aportador, obrigado pelo comentário.

    Te adicionei no Blogroll, achei que já tinha te adicionado antes. Mas agora, já está salvo.
    Muito bom o link que você postou do Mr. Money Mustache, matemática é tudo na educação financeira e ele escreve muito bem. Fiz um post semanas atrás, abordando exatamente isso: a matemática por trás da jornada pela IF: https://heavymetalinvestimentos.blogspot.com/2019/10/qual-valor-define-minha-independencia.html

    Caso não tenha lido, dê uma olhada. Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Na verdade nunca confiei no dinheiro do governo mesmo sendo funcionário público. Antes mesmo de ingressar no serviço público já conseguia guardar meu dinheiro sem problemas. Hj já me considero bem tranquilo pq o que eu recebo de renda dos meus investimentos quase equivale ao meu salário, quer dizer, se tudo der errado já tenho como manter meu sustento sem passar dificuldades. Ótimo post e o site que vc citou é de péssima qualidade.
    Anderson.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anderson. O InfoMoney às vezes tem coisas boas, mas tem que filtrar muito o que lemos lá. E você está no caminho certo, pelo que escreveu. Se o que você ganha de renda equivale ao seu salário, significa na teoria que você já é livre financeiramente. Se ficar sem trabalhar um ano, as contas estarão todas pagas, por exemplo. O segredo agora e fazer essa renda mensal passar com folga seu salário atual, aí sim você estará num céu de brigadeiro.

      Excluir
  8. Belo posto HM,
    Nunca acreditei no INSS, Não pago essa encrenca.

    Abraço
    Bagual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é um sortudo, KKKKKK!É como dar dinheiro para viciado em drogas, só vai torrar o mesmo.

      Excluir
  9. Muito bom!

    É triste ver este tipo de informação vindo de um site que tinha como função educar financeiramente o brasileiro.

    Eu gostaria de acrescentar mais uma informação que aconteceu comigo e provavelmente com muitos que perseguem a tranquilidade financeira (não disse independencia propositalmente):

    Os erros com finanças e dinheiro. Eu li em algum lugar que não me lembro, mas parece que Warren Buffet dizia para tomarmos conta do nosso dinheiro como se tivessemos um cartão de "erros" com 20 pontos. Cada erro financeiro você faria um X em um ponto. Portanto, ao longo de sua vida, você poderia cometer no MÁXIMO 20 erros financeiros.

    Tirando do exemplo, eu creio que o que ele quis mostrar seria que há um limite de burradas que alguém pode fazer e a intenção é aprender com elas... só da minha vida (tenho 35 anos) eu lembro das perdas com:
    - trocas de carro (foram 3, em todas eu perdi dinheiro por não saber negociar ou estudar antes),
    - Opções (olho gordo),
    - cursos da Empiricus (muitos dinheiros buscando "oportunidade),
    - BITCOIN (mais de 1 ano de economias viraram quase 0, olho gordo novamente),
    - giro de investimentos (de pouco em pouco, fui engordando intermediário, estava igual galinha sem cabeça, pulando de investimento em investimento),
    - fundos de investimento (não sabia o que estava fazendo e dando dinheiro para outros investirem em meu nome e ir pra casa ver TV e comer pipoca, que se desse errado, eu que me fodia, e ainda estava no contrato isso),
    - COE (putz... esse é fantastico... de ruim)...

    Bem, acho que foi isso. Ai de um ano para cá isso mudou. A carteira está balanceada, o rendimento bem acima do CDI e indo aos poucos. Chega de dar ma nota e parar de por fogo no meu tempo e trabalho. Falta de respeito comigo mesmo.

    Desculpe pelo longo comentario, mas gostaria de saber se cometeu erros tipo os meus, como lidou com isso, o que acha, etc...

    Muito obrigado pelo trabalho que faz por nós que buscamos um dia ter uma vida melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, já postei aqui antes. Perdi +- 600 mil reais anos atrás, ao realizar prejuízo em ELPL4, VALE5 e PETR4. Errar é parte da nossa evolução, do nosso aprendizado, marca na "alma", na pele. Mas, aprender com os erros dos outros é MUITO MAIS BARATO, e muitas vezes é gratuito. Já leu este post meu?

      https://heavymetalinvestimentos.blogspot.com/2019/10/manual-do-futuro-milionario-o-que.html

      Se não leu ainda, boa leitura.

      Excluir
    2. Em tempo: ao tentar ajudar, tentar ensinar, sou eu quem aprendo o tempo todo. Já recebi comentários espetaculares nestes 8 anos de Blog. Volta e meia, um comentário que recebo me obriga a escrever um post, a ler sobre um assunto que desconheço ou posso conhecer melhor.

      A vida é troca, meu amigo. Quem acha que sabe tudo, corre um sério risco de ser apenas mais um arrogante - e burro.

      Excluir
    3. Entendo! Muito obrigado pela resposta! Muito bacana a postagem!

      Excluir
  10. Excelente postagem, amigo. Muita completa e informativa.
    Também sou da opinião de que não se pode confiar no INSS.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ADP, confiar em dinheiro nas mãos de políticos (o INSS é exatamente isso: mudou de governo, muda tudo, muda equipe econômica, mudam a legislação e aí, PHODEU) e fazer roleta russa contando com a sorte eterna. Abraço!

      Excluir
  11. Fala caro HM, tudo certo?

    Se vc "fechar" o nicho em funcionários públicos, verá que os dados são ainda mais assustadores. Embora grande parte (para nao dizer todos) sejam obrigados a continuar contribuindo com a previdência (que é pelo salário, inexistindo teto), mesmo depois de aposentados (o que acho absurdo), ninguem quer ser responsável pela própria aposentadoria.

    Outro dia falavam sobre a aposentadoria "integral" (há alguns descontos, mas é qse o valor cheio - IR e contribuição previdenciária), qdo pediram minha opinião, disse que não concordava. Quase apanhei.
    Verdade seja dita, tirando os cargos de "alto escalão", os salários dos funcionários públicos de várias funções poderia ser bem melhor e a aposentadoria (assim como a contribuição) deveria ser pelo teto do INSS. Isso seria excelente para enfermeiros, professores, policiais, bombeiros, etc.
    Por outro lado, certas funções deveriam ser sempre executadas por empresas contratadas, justamente por custos (ex: limpezas, manutenções em frotas e prediais, etc), assim como alguns benefícios para uns poucos deveriam ser cortados, por nao fazerem sentido.
    Um adendo: a maioria dos "super salários" deve acabar "em breve", na medida em que se aposentarem os dinossauros. A maioria dos servidores mais novos (pós 1988 e, especialmente, pós 2003) terão tetos mais claros, o que acho bastante justo.

    Quem tá de fora acha que todo o funcionarismo recebe muito bem, sempre. É uma meia verdade, pois em sua maioria não, exceção feita a maioria dos concursos mais específicos de nível superior (que requerem de fato, especialização numa área de conhecimento), que são poucos casos, como é o caso de peritos, auditores, juízes, promotores, etc... O que não pode acontecer é ascensorista ganhando 12k/mes, engraxate por 7-10k/Mes, copeira que ganha 6-7k/mes.

    Enfim, até mesmo no funcionarismo público (se nao principalemente nele), há muito espaço pra melhorar eficiência, aumentar a média salarial dos que trabalham, cortar benefícios que nao fazem sentido, tudo isso para diminuir o custo para população ao mesmo tempo que os serviços prestados sejam efetivamente prestados com uma melhor qualidade.

    Sucesso, FPI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FPI, exatamente isso!

      Fiz questão de esclarecer no texto que nada tenho contra funcionários públicos: tenho contra super-aposentadorias e penduricalhos (exemplo: juizes, desembargadores, MP, ministros). Eu sou fã das forças armadas, até pela sua importância para a liberdade e segurança de qualquer país, mas odeio essa putaria de filha de militar receber pensão do pai falecido, pois "não é casada".

      Conheço um casal que vive assim e a esposa ainda por cima, é funcionária pública antiga do judiciário. PQP!!! Tem filhos e tudo, mas "não são casados".

      Por que juiz precisa de carro com motorista? Não tem o carro dele, cacete? Se não está sob ameaça, isso é ridículo. E receber auxílio moradia e auxílio paletó??? Isso me dá nojo, prefiro muito mais pagar um salário melhor para um policial federal ou um bombeiro, médico. Em resumo: a culpa é dos legisladores e do povo, que não cobra mudança e aceita calado. Se começar um quebra-quebra nas ruas, pedindo as mudanças CERTAS para o país, esses filhos da puta corruptos mudam a lei em um dia.

      Excluir
  12. Se aposentar pelo INSS por tempo de contribuição é fácil, registrado aos 18, se aposenta aos 53 anos. 35 anos de contribuição.

    Claro que vamos alcançar a IF muito antes disso.

    ResponderExcluir
  13. Excelente post ! o povão não tem noção e educação financeira, gasta e vive como se não houvesse amanhã achando que o governo vai segurar a bronca no final (quando se aposentar), mas como está claro no post a mamata acabou e não sabemos o que virá no futuro !! temos que pensar desde já no futuro !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Stifler, a conta não fecha. Pra dar certo, teria que ter uma mudança justa e radical: acabar com todos os penduricalhos, ter teto máximo, idade de aposentadoria igual para os homens e mulheres (elas inclusive vivem mais!).

      Na minha opinião, a previdência dos funcionários públicos deveria ser separada da dos demais. Eu NÃO sou funcionário público!!! É injusto carregarmos o rombo dos outros.

      Excluir
  14. cavaleiro do apocalipse29 de outubro de 2019 10:03

    Essa discussão é inócua. O maior problema do século 21 é a biotecnologia e a automação. mais de 70% dos empregos deixarão de existir/serão substituídos. Sem emprego, sem contribuição (patronal ou do empregado), o sistema vai entrar em colapso.

    Em 30 anos não haverá INSS simplesmente pq não haverá empregos.
    Eu tenho certeza que "contribuir para o INSS" será tão esquisito daqui 30 anos quanto "escravidão" é hoje.

    ResponderExcluir
  15. Ola!! Henrique da Suica aqui. Foi um grande prazer recebe-lo aqui na XP Private Europe e bater um papo contigo! Trabalho muito bacana feito tanto na carteira, no blog e tambem por contribuir para a educacao financeira de diversos brasileiros! Precisamos de mais pessoas como voce! Atitude, questionamento, curiosidade e pro-atividade e acima de tudo, transparencia que e algo tao dificil de se ver no setor financeiro!! Espero que tenhamos mais visitas suas com mais bate papo de mercado , valores e ideais!

    GRande Abraco! Henrique M!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Henrique,

      Foi com grande prazer que te conheci e tive a oportunidade de conhecer a XP em Genebra (Suíça). Meu próximo post será sobre nosso encontro e sobre a XP na Suíça. Tenho orgulho de ver gente como você, brasileiro, fazendo bonito fora do Brasil. Um abraço!

      Excluir

Conto com a boa educação e colaboração de todos! Comentários ofensivos não serão publicados. Aqui, compartilhamos uma jornada rumo à independência financeira.