terça-feira, 16 de julho de 2019

Juros Compostos são "uma porcaria" no início. Eis como contornar este problema.

 Este post não é meu, é uma tradução do post original do autor Zak, que é dono do excelente Blog "Four Pillar Freedom"

 Este é o link do post original: "Compound Interest Sucks Early On. Here’s How to Get Around That Problem"

 Confesso que este é um dos melhores blogs que leio sobre investimentos, onde o autor esmera nos textos e mostra bom conhecimento sobre o tema Independência Financeira. Os gráficos são ótimos e muito didáticos. Segue minha tradução do post (desculpem caso tenha algum erro):


"Eu sempre fui fascinado com o conceito de juros compostos (JC).

 Um dos meus exemplos favoritos que eu mostro as pessoas para ilustrar o poder dos JC é o seguinte: Considere alguém que invista 10.000,00 dólares cada ano no mercado de ações e ganhe um retorno médio anual de 7%. Assumindo que comecem com "zero", essa pessoa levaria 7,84 anos para acumular 100.000,00 dólares.


 Entretanto, se eles apenas continuarem a investir 10.000,00 dólares a cada ano, levariam mais 5,1 anos adicionais para acumular seus próximos 100K dólares:


 Enquanto eles continuarem a investir 10.000,00 dólares a cada ano, cada 100K dólares adicionais virão mais rapidamente que os anteriores:

 

 Este é o poder dos JC trabalhando. É fraco nos anos iniciais, mas poderoso nos anos posteriores. Mas o fato que JC produzirem a maior parte dos ganhos "malucos" na direção da calda sempre me incomodou. 

 É legal que alguém que invista 10K dólares a cada ano a taxa de 7%, começando aos 25 anos possa acumular 500K dólares aos 47 anos, mas ainda tem que gastar 22 dos seus anos de trabalho mais jovens (*produtivos) para que isso aconteça.

 Para pessoas que gostam do seu emprego fixo, isso pode não ser um grande problema. Infelizmente, a maioria das pessoas não estão ativamente comprometidas em seus empregos, então sacrificar seus anos mais jovens trabalhando em um emprego que não amam, apenas para ganhar dinheiro suficiente para conseguir que a roda dos JC continue a girar não é uma proposta sedutora.

 Felizmente, temos dois caminhos para contornar isso:

1. Guardar dinheiro suficiente no menor espaço suficiente de tempo, para que você não precise dos JC para alcançar suas metas financeiras.

2. Tomar a abordagem lenta e tradicional de poupar para a aposentadoria para tirar vantagem dos JC, e na realidade trabalhar sim em algo que você goste neste caminho, assim a jornada  não seja apenas um jogo de espera da aposentadoria".

 Sugiro que entrem no link do texto original e aproveitem para praticar seu inglês, lendo o final do texto. 

 Seguem alguns gráficos do mesmo post, mostrando como funciona a Opção 1...

 "(considerando 7% de retorno anual e 10K dólares de aportes anuais) Se continuarmos fazendo estes cálculos a cada ano, descobriremos que o retorno do investimento é explicado mais e mais pelo aumento anual do crescimento patrimonial (*valorização da carteira), enquanto o tempo passa:



 No ano 1, a valorização é responsável por apenas 7% do crescimento patrimonial (*93% se deve ao aporte dos 10K dólares). No ano 2, eles respondem por 13% do crescimento patrimonial. Depois 18% no ano 3, e assim por diante. Observem como leva aproximadamente 11 anos para que os retornos dos investimentos sejam mais devidos a rentabilidade da carteira do que dos aportes:









   Outro dado importante citado no texto é que mesmo com um aporte de 20K dólares, ao invés de 10k, os percentuais permanecem os mesmos. Serão ainda necessários os mesmos 11 anos para que a valorização dos investimentos ultrapasse os aportes na composição do crescimento patrimonial (isto é, mais de 50% da valorização não será devida aos aportes). Estive olhando minha carteira hoje e notei claramente já estar neste patamar há alguns meses (pelo menos na presente data). 

 Quanto a Opção 2...

 "A segunda abordagem requer que você tenha uma visão fundamentalmente diferente de independência financeira. Ao invés de salvar dinheiro suficiente enquanto jovem para nunca mais precisar trabalhar, considere no lugar trabalhar em algo que você gostou por várias décadas, poupando e investindo um pouco a cada ano.

 Isso te permitiria tomar a vantagem do poder dos JC ao longo do curso de décadas, sem desperdiçar seus melhores anos de vida e de saúde física, preso num cubículo trabalhando em algo que odeia".

 Gráfico comparando as duas opções supracitadas:

 


 Pelo que vivi até hoje e pelo que li neste post, a opção dois é a mais viável, pois é muito difícil conseguir acumular muito dinheiro cedo para se aposentar antes dos 40 anos e viver somente do que acumulou - e depois gastar somente "4% ao ano do seu portfólio" (citado no texto também, para quem escolheu a Opção 1). Até por que os ganhos maiores para quem, por exemplo, empreende ou está subindo numa carreira, vem com o tempo. 


 Outro ponto: ter um emprego com alto salário não é fácil assim no Brasil, odiando o mesmo ou amando! Sugiro novamente que vocês entrem no link e leiam em inglês o post original. 


 Encontrei meu "perfil", uma terceira opção, neste parte do texto que foi uma "ressalva" (caveat):



 "Ressalva: É possível manter uma alta taxa de poupança e também aproveitar seu emprego fixo, que te fornece uma jornada curta e agradável. Este cenário é raro, mas não impossível".

 Minha profissão não é um emprego fixo, mas eu a pratico de Segunda a Sexta, praticamente uma rotina fixa (claro, se não quiser eu não vou trabalhar). E já estou com 46 anos, sei que poderia ter começado a poupar aos 20 ou 25 anos (teria muito mais dinheiro hoje), mas comecei aos 33 anos. São 13 anos investindo e de acordo com a ressalva, este período seria um curto espaço de tempo e com altos aportes - exatamente o que fiz. 

 No final, ele cita os prós e contras, na opinião dele, das duas abordagens. Tirem suas conclusões e discutiremos aqui se quiserem.

 Gostei muito dos gráficos que mostraram "aportes x valorização da carteira" ao longo dos anos. Um último gráfico interessante (de outro post dele), mostrando o efeito de taxas de retorno anuais de 3%, 5% e 7% sobre um portfólio ao longo de 30 anos, com aportes anuais de 10.000,00 dólares, mostrando como uma diferença percentual de 2% pode afetar em muito o resultado final. Eis o poder dos juros compostos:




27 comentários:

  1. A diferença realmente é absurda!!! Já tinha visto uns gráficos assim mas é sempre bom relembrar. Muitas vezes negligenciamos alguns décimos de taxas mas esquecemos que no longo prazo realmente fazem uma diferença

    ResponderExcluir
  2. Ótimo post HM. Sou fã dos juros compostos mas como bem diz o texto o mesmo requer tempo para mostrar potencial! Por isso acho importantíssimo a manutenção da estratégia de aportes constantes durante o período de acumulação. Lendo o texto também me identifiquei com a opção 2. Tive a sorte de evoluir rápido na carreira e gostava muito do que fazia. Você é empresário HM?
    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, EI! Sou microempresário e profissional liberal. Temos que descer o cacete nos aportes, pois como vimos no texto em 11 anos (levando em conta um taxa de retorno de 7% ao ano sobre o portfólio, fora os aportes, algo factível) 52% do retorno da carteira se deve aos juros compostos e 48% aos aportes. Teoricamente, estou investindo já a 13 anos.
      Vou fazer uma tabela e ver se consigo calcular como anda minha bola de neve: qual a % que hoje, mensalmente, ela cresce pelo aporte e quanto pela valorização.

      Excluir
  3. Obrigado HMI por compartilhar. Não conhecia o blog do FourPillar, vou ler e aproveitar para melhorar meu inglês. Esse último gráfico é bem interessante, melhor ainda se conseguir aportar mais e mais a cada ano, que é o que venho tentando fazer, aumentar renda, diminuir despesas e consequentemente aumentando a taxa de poupança.
    Abraço do Muk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Descobri este blog através de alguém da nossa Blogsfera, vou descobrir quem é e aviso aqui. Estava no Blogroll deste colega. Li e achei excepcional de cara. Ele se demitiu e vive hoje do blog, de ajudar outros a criar blogs, dos investimentos dele e de gráficos que cria (isso mesmo, são muito bons). TMJ!

      Excluir
  4. Eu tenho um amigo que entrou no mesmo concurso que eu, ganhando a mesma coisa e não entendia a importância da poupança mensal, sempre reclamava que era ruim se ferrar para poupar um pouco para render "10,20 ou 30 pila por mês". Acabei criando uma tabela até o ano de 2055(ano da aposentadoria) e mostrei que R$ 1,00 hoje, a uma taxa de 0,5 % ao ano, que é um lixo, se transformaria em R$ 9,00 reais +-, só que se ele aportasse todo mês mais R$ 1,00 o final não resultaria nos R$ 9,00 mas sim em R$ 1631,00. Ou seja, cada real poupado tem um poder monstruoso de transformação no seu conforto futuro graças a divina matemática.

    Tem outro interessante e triste detalhe que entra no cálculo, que o amigo ai em cima já contou a bola, mas muitas vezes renegamos as porcentagens dos investimentos pensando ser pouca diferença pelo risco corrido, mas no longo prazo 0,05% faz uma diferença monstruosa, literalmente milionária. Claro que é muito difícil controlar isso com regularidade, mas mostra importância da sobriedade necessária quando se trata de investimentos, pois um mês negativo por uma cagada na bolsa, por exemplo, não é brincadeira e dói.

    Meu amigo não continua poupando até hoje, quase 4 anos após entrarmos, gasta quase tudo que ganha, se enfia em financiamento do carro da namorada(WTF), empréstimo consignado, comprando besteira e mais tudo que há de ruim. Infelizmente ele terá o futuro negro da maioria dos brasileiros, assim como uma grande parcela de pessoas que conheço, simplesmente por falta de educação financeira e/ou por essa cultura medíocre brasileira da aversão a riqueza, que ainda é resquício da teoria da conspiração impenetrada pelos marxistas e depois pelos nazistas do plano Weimar, propagada no inconsciente coletivo por essa bosta chamada esquerda brasileira e afetando a todos, mas deixa para lá por isso daria um texto a parte e não acredito "consertável" .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito do seu texto. O brasileiro comum (quem poupa é incomum!) é criado para ser pobre, reclamar do governo, votar mal, querer benesses do estado e o maior sonho é passar em concurso público. Empreender, é “loucura”, coisa de “gente rica” (KKKK, ser rico de forma lícita, aqui, é crime!).
      Já leu “O milionário mora ao lado”? Se não, compre agora e comece a ler ONTEM. Seu amigo é mais um zumbi das hordas mimizentas gastadoras compulsivas do exército das vítimas do “capitalismo selvagem”. Ser pobre é mais fácil e cômodo que ser rico, como ser burro é mais fácil que ser culto. A pior coisa que pode acontecer a um ser humano é a pobreza de espírito: ter consciência, educação e opção de subir na vida e optar pela mediocridade.

      Excluir
  5. Parabéns pelo post, HM. Não conhecia o blog que você indicou, vou assinar!!
    Gostei bastante do conteúdo.
    Esse desafio dos Juros Compostos no início, é o que afugenta muitas pessoas da fase de acumulação. Muita gente desiste. Minha própria esposa olha para nosso patrimônio e diz: "nossa... mas quase não mexe, né? Tanto acúmulo, pra pouca coisa" hehehe... E sei que daqui a alguns anos, ela vai mudar de opinião.
    Gráficos e posts como esses são importantes para nos manterem no foco, acumular o máximo possível e tentar curtir a jornada.
    Forte abraço!
    Stark.
    http://www.acumuladorcompulsivo.com

    ResponderExcluir
  6. Mostre a ela os gráficos. Tem uma frase célebre do Charlie Munger, num encontro dos acionistas da Berkshire Hathaway: “THE FIRST $100,000 IS A BITCH!”. Dita publicamente, nos anos 90. Leia aqui: https://fourpillarfreedom.com/charlie-munger-the-first-100000-is-a-btch/

    ResponderExcluir
  7. Excelente artigo...
    Estou tentando replicar a tabela, mas só consigo chegar nas seguintes %Net de aumento no aporte de 10.000 mensais... O que estou fazendo de errado na fórmula/cálculo?
    Ano Valor Acumulado % Investida % Retorno
    1 R$ 10.700,00 93,46% 6,54%
    2 R$ 22.149,00 90,30% 9,70%
    3 R$ 34.399,43 87,21% 12,79%
    4 R$ 47.507,39 84,20% 15,80%
    5 R$ 61.532,91 81,26% 18,74%
    6 R$ 76.540,21 78,39% 21,61%
    7 R$ 92.598,03 75,60% 24,40%
    8 R$ 109.779,89 72,87% 27,13%
    9 R$ 128.164,48 70,22% 29,78%
    10 R$ 147.835,99 67,64% 32,36%
    11 R$ 168.884,51 65,13% 34,87%
    12 R$ 191.406,43 62,69% 37,31%
    13 R$ 215.504,88 60,32% 39,68%
    14 R$ 241.290,22 58,02% 41,98%
    15 R$ 268.880,54 55,79% 44,21%
    16 R$ 298.402,17 53,62% 46,38%
    17 R$ 329.990,33 51,52% 48,48%
    18 R$ 363.789,65 49,48% 50,52%
    19 R$ 399.954,92 47,51% 52,49%
    20 R$ 438.651,77 45,59% 54,41%

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo meu post... Mencionei 10.000 mensais, mas são 10.000 anuais.

      Aproveitei o erro e fiz algumas simulações de juros compostos utilizando rendimento mensal ao invés de anual...
      Uma vez que com o rendimento anual apresentado não conseguimos saber o quanto de aporte mensal o autor utilizou no exemplo para no final de 12 meses ter os 10.000 dolares... (10.000 / 12 = 833,33 ???)
      Multiplicar 10.000 com 7% de rendimento gera um resultado diferente de multiplicar o rendimento mensal de 0,5833 (7/12) x o aporte mensal (não especificado pelo autor).
      De qq forma a % NET proporcional eu não consegui chegar no valor apresentado na tabela.
      Se puder ajudar a validar, agradeço.

      Excluir
    2. Daniel, seu erro não é aritmético e sim de interpretação dos títulos da tabela..
      Os percentuais não são as parcelas do patrimônio total acumulado provenientes de aporte ou juros, mas sim o quanto o AUMENTO patrimonial de um ano para o outro veio de aporte ou juros.

      Excluir
  8. Boa noite, legal o post. Baseado na sua experiência de investidor, você não acredita que dá para contornar a falta de força dos juros compostos no início da jornada utilizando uma alocação maior nos fiis não? O que geraria mais renda e com esse reinvestimento, aceleraria o processo de IF?
    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matheus, boa noite! A lógica é a mesma: desde que você consiga uma taxa de juros (eu corro atrás dos 10 a 12% ao ano, se possível) anual estável, o resultado final seria o mesmo. Os FII ainda tem a valorização dos mesmos, algo que aceleraria seu patrimônio mais ainda, dependendo cada vez menos dos aportes. Mas... FII podem desvalorizar também - FII são RENDA VARIÁVEL, nunca se esqueça disso.
      As tabelas acima seriam como investir em renda fixa, sendo remunerado em 7% ao ano. Eu tenho aportado em FII desde 2009, mas peguei mais pesado de 2014 em diante. Acho FII espetaculares, desde que continuem com a isenção de IR. Pretendo ter possivelmente 2 milhões em FII.

      Excluir
    2. HM, eu tenho uma carteira de investimento. Tenho pouco tempo de bolsa, mas estudei muito antes de entrar. Tenho uma alocação de 35% acoes, 25% fiis, 40% RF(apesar de que agora tá osso, não to aportando mais, só engordando a reserva de emergência) e 10% em dolar e outras coisas. Minha carteira no momento que te escrevo está com mais de 12% de rentabilidade, o book de ações é o grande responsável com mais de 20% de valorização. Entretanto, gostaria de ter maiores rendas recorrentes coisa que não estou tendo. Acho que a soma dos fatores: início de carreira como investidor + alocação menor nos fiis, tem causado essa renda pequena recorrente. Teria alguma sugestão para eu melhorar meus investimentos?

      Abraços e obrigado pela resposta

      Excluir

    3. 1- Nunca ache que você sabe demais e vai vencer o mercado sempre, já me ferrei feio com isso. A única maneira garantida de se igualar ao mercado é através de ETFs ou Fundos Mutuais (como nos EUA), pois assim você "comprou o cassino". Claro que qualquer um pode por anos bater o mercado, mas isso é uma exceção. Estude sobre hedge com pó de opções, as aulas do Luiz Roxo são ótimas, sem dúvida. Os Cisnes Negros existem e dão o ar da graça sem aviso algum.

      2- Você está no caminho certo, basta ver seus números. Minha carteira, sem ações (exceto via fundos multimercado) está com +- 10% líquidos este ano. Tenha metas modestas, mas possíveis: bater a RF ou, 1% ao mês, algo que não exija de você riscos desnecessários. Enriquecer é uma viagem lenta (como o nome de um blogueiro colega nosso), é devagar. A tartatuga sempre chega ao final da corrida, vive mais de 170 anos e leva a vida sem pressa.

      3- Cada um tem um estilo e uma meta. Eu optei desde 2014 por fluxo de caixa mensal e valorização menor (FII, comparando com ações). Se tivesse comprado tudo em ações desde 2014, o meu resultado atual seria muito melhor (agora que já estou no "futuro" de 2014, fica fácil escrever isso! Mas, poderíamos estar numa bolsa em queda também). Escolhas são escolhas.
      A única coisa previsível é que tudo é imprevisível. Penso em futuramente comprar ações de boas empresas, com maiores dividendos e longo histórico de pagamento dos mesmos. É fundamental ter ações na carteira, seja 10 ou 30% - novamente, estratégia de cada um.

      4- Nunca deixe de ter de 25 a 75% da carteira em boa renda fixa: muitas vezes, investir bem é saber esperar a hora da desgraça. O rendimento é o menos importante para este dinheiro, que claro eu tento dar a ele a maior rentabilidade possível (não alocaria na poupança, por exemplo). Mas o fator "X" aqui é a reserva guardada e que pode ser bem utilizada a qualquer momento, momento este que pode levar meses ou anos para surgir. As vezes investir bem é somente saber esperar.

      5- Enxergue FII como seu investimentos em imóveis. Se quer mais fluxo de caixa mensal, aumente seus aportes em FII.

      Excluir
  9. Matheus, por favor mande seu último post! Apaguei sem querer e preciso te responder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, HM. Difícil lembrar exatamente o que escrevi! Mas, algo assim: As dicas que você me deu são valiosas, sigo todas com exceção da 5 com bastante afinco. Mas acredito que poderia estar recebendo renda recorrente maior, tendo em vista que faço aportes maiores do que a média brasileira né, nada que seja grande mas o máximo que consigo. Mas para ter renda extra maior e recorrente precisaria elevar demais o percentual em fiis o que alteraria minha estratégia original, venho estudando com calma a ideia. Mas ver resultados como o seu me animam bastante, apesar de achar/saber que não conseguirei chegar perto dessa renda ai .... kkkk Belissímo patrimonio, parabéns.
      Abraços,

      Excluir
    2. Não sou coach, nem escrevo livros de auto-ajuda, longe disso. Mas ouça o que eu vi, vivi e ainda vivo: acredite em você, tenha disciplina espartana com seu dinheiro (sem ser miserável), tenha fé, trabalhe escreva suas metas num lugar que possa ver. Tenha fé em Deus, ou no que quer que você acredite.
      Em 2006 eu vi uma SantaFé na rua, achei linda. Minha esposa chegou em casa e falou que tinha visto o mesmo carro e adorado. Entrei na Internet, imprimi a imagem do carro e falei: vamos ter um desses! Meses depois, comprei praticamente à vista nossa primeira SUV (zero). Hoje, eu já compraria seminova (kkkkkkk...).
      Em 1999, minha meta era ganhar de 12 a 16 mil reais por mês. Passei em muito disso, há muito tempo.
      Quer alcançar? Sonhe, deseje, mentalize, trabalhe, empreenda com cálculo de risco. Neste mundo, só a imortalidade física é hoje algo impossível. O resto? Tudo é possível. Comecei do zero, cheguei onde estou, não sou filho de familia rica e nem ganhei na Mega-Sena: batalhei, construí e alcancei. E tive mil motivos ao longo do caminho para desistir, culpar alguém, reclamar da vida e fracassar culpando os outros. Ouvi não quando mais precisava de um sim. Abandonei emprego certo em 2000 para ser realmente um profissional liberal e empreender. Eu gelei na época, queria casar mas como faria sem dinheiro? Sem casa?
      “Olhai os lírios do campo”... Olhei! E nada me faltou até hoje. Tenho um tatuagem feita em 2005, que mostra bem meu espírito, minha mentalidade:
      VENI, VIDI, VICI.

      Excluir
    3. Fantástico! Sei que o caminho é árduo e sei que vou ralar bastante, especialmente por não ter começado quando pensei em começar e hoje lamento...mas são coisas da vida, entendo isso. Hoje com 34 anos e 7 meses de bolsa e uma mini poupança iniciei e tenho me saído bem, mas é aquela coisa né... leva tempo e o fato de saber disso angustia qualquer um. Mas tenho fé e tenho disciplina sei que chego lá.

      Obrigado HM, continue nos inspirando.

      Excluir
    4. Crie seu blog, como um diário de sua trajetória. Mas faça isso anônimo, pois moramos em Banânia... onde falar em dinheiro e riqueza é “crime”. Abraço!

      Excluir
  10. HM,

    Vi que uma das "dicas" que você mencionou acima é investir em ETFs. Você tem investido neste momento, em substituição aos seus fundos multimercado ou acrescendo?

    Eu tinha começado a investir em PIBB11 por causa da taxa de adm muito baixa, mas depois da redução para 0,30 do BOVA11, e aliados a vários outros motivos que prefiro não me estender para não alongar o tópico, acabei voltando pro BOVA11.

    No entanto, não posso negar que estou bem receoso em continuar com a estratégia de comprar BOVA11 todos os meses, em pleno "topo histórico". O que você acha?

    Meus aportes não são de tubarão que nem vc, mas são acima da média geral, cerca de 11k por mês, o que tenho dividido 5-10% em renda fixa e o resto em FIIS e ETFs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 019 23:18
      TumTum,
      Como você perguntou, vou responder e sem achismo ou fórmulas mágicas. Dizem que a bolsa vai a 150 mil pontos. Será? Outros, que cairá em breve. Quem tem a certeza? A única coisa previsível é a imprevisibilidade.
      Eu optei por FII ao invés de ações anos atrás, mas já decidi que voltarei a ter ações também. Mas não acho agora uma boa hora para isso. Bom estava nos 60 mil pontos... agora é topo.
      Eu prefiro ter no mínimo 25 a 50% em RF para poder aproveitar a hora da desgraça, que sempre vem (o mercado é cíclico). Como não temos bola de cristal, não o condeno por aportar parte em ações também, mas eu colocaria um pouco mais em RF para ser usada na compra de renda variável, nas quedas por vir. Lembre: compre no estrondo dos canhões e venda ao som dos violinos. Até o Barsi já falou que a bolsa está cara, um cara conservador e que vive da bolsa há décadas.
      Melhor que deixar de ganhar, é não perder, pois só ganha em ações se realizar lucro. Esta é minha visão, mas pelo visto a bolsa ainda sobe mais um pouco.

      Excluir
  11. Legal sua visão! Pretendo mesmo revisar meus aportes mensais em ETFs por ora. Talvez diminua para o mínimo (1 lote padrão, 1k, para não ter que comprar em fracionário. Ações isoladas já decidi que não quero ter: o custo x benefício x tempo x stress, para mim, não compensa.

    Quanto à RF, tenho tido dificuldades em achar algo que preste para deixar o dinheiro, e que tenha LIQUIDEZ. Na corretora que utilizo, easynvest, tem vários CDBS/LCI/LCA/LC etc de boas financeiras/bancos, que tem lucros consistentes, mas daí se perde a liquidez.

    Já olhando os fundos de crédito privado, a maioria lá está performando no maximo 110% do CDI bruto.

    Por isso fico meio perdido para achar algo com LIQUIDEZ e com uma rentabilidade razoável na renda fixa.

    ResponderExcluir

Conto com a boa educação e colaboração de todos! Comentários ofensivos não serão publicados. Aqui, compartilhamos uma jornada rumo à independência financeira.

Petistas, comunistas, socialistas, bolivarianistas e demais escroques, aqui vocês não são bem vindos.