quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

A Europa começando a pagar a conta dos esquerdopatas...

Caros amigos,

Como eu já havia postado aqui semanas atrás, sobre o que a esquerda "Politicamente Correta"(e imbecil) estava fazendo com a Europa, o desastre segue lá como uma locomotiva sem freios e, em breve, teremos coisas piores. Novos ataques terroristas, agressões nas ruas, mortes, lutas de europeus contra os "novos amigos refugiados". Isso é apenas questão de TEMPO.


 Leiam esta notícia no link abaixo



Berlim 5 JAN 2016 - 16:08 BRST

"Na véspera de Ano Novo, cerca de mil homens na cidade de Colônia cometeram “crimes de uma dimensão desconhecida”, segundo a polícia

A indignação é crescente. Cerca de mil jovens atacaram um número indeterminado de mulheres nos arredores da estação central de Colônia, justamente ao lado da famosíssima catedral da quarta maior cidade da Alemanha, na véspera de Ano Novo. A situação ainda é confusa, e não está claro como os fatos aconteceram. Mas a polícia denunciou o que considera uma onda de crimes "de uma dimensão desconhecida" cometidos por homens que, pela aparência, vieram de "países árabes ou do norte da África".

Nos últimos meses, as autoridades haviam identificado jovens do norte da África que cometiam pequenos furtos ou assaltos na estação de Colônia e arredores. Mas, na noite de 31 de dezembro, pela primeira vez foi identificada a atuação de um grupo tão numeroso, do qual saíam outros pequenos grupos que assediavam e atacavam mulheres. Segundo a polícia, os criminosos, muitos deles bêbados, cometeram agressões sexuais em "massa”. Entre esses, teria ocorrido pelo menos um estupro.

O ministro da Justiça, o social-democrata Heiko Maas, compareceu na terça-feira para avaliar a situação, em uma amostra da gravidade atribuída pelo Governo aos fatos. “Algo assim nunca aconteceu antes. Essa é uma nova dimensão do crime organizado”, disse. Apesar dos fatos ainda estarem sendo investigados, o ministro acredita que os agressores possuem alguma forma de organização. “Mil homens reunidos devem ter combinado de alguma maneira”, acrescentou. A ministra da Família, Manuela Schwesig, pediu ações imediatas. “Os responsáveis, não importa de onde vêm e sua religião, devem ser localizados e prestar contas rapidamente”, disse. A polícia deteve cinco homens que cometeram roubos no domingo, mas não está claro se também participaram dos acontecimentos do Ano Novo.

Uma testemunha relatou ao jornal Kölner Stadt-Anzeige que um grupo de homens a agrediu enfiando a mão dentro de seu vestido. Outra contou que rasgaram sua saia e sua roupa de baixo. Por enquanto 60 pessoas apresentaram denúncias, mas a polícia tem certeza de que existem mais vítimas que ainda não denunciaram as agressões. “Toda a praça estava cheia de homens; e alguma mulher isolada a qual observavam fixamente. Quase não consigo descrever o que vi”, afirmou Anne, outra testemunha, à versão digital da Spiegel.

A notícia caiu como uma bomba em Colônia. A recém-eleita prefeita da cidade, Henriette Reker, convocou uma reunião de crise para analisar o ocorrido. A prefeita, que três meses atrás foi esfaqueada por um extremista de direita furioso por seu envolvimento na causa dos refugiados, disse que não tolerará que os visitantes da cidade tenham medo de ser atacados. A situação preocupa ainda mais porque em um mês Colônia receberá por volta de 400.000 pessoas por seu famoso carnaval. As autoridades temem que os agressores aproveitem a ocasião para realizar novos ataques.

É difícil imaginar um começo de ano pior para um país que ao longo de 2015 recebeu por volta de um milhão de refugiados, e que deverá realizar grandes esforços para integrar os recém-chegados. Além disso, em Hamburgo também ocorreram agressões a mulheres no Ano Novo.

Do outro lado da balança, a violência contra os refugiados também inaugurou o novo ano. As agressões da ultradireita alcançaram um recorde em 2015 com mais de 1.600 ataques registrados. Mas na noite de domingo a violência xenófoba deu um passo além: um ou vários desconhecidos dispararam contra um refúgio. Um asilado político ficou ferido."



 Eu já havia denunciado aqui que a Europa havia engolido um enorme "Cavalo de tróia" (Cavalo de Tróia Muçulmano na Europa e O tempo é o senhor da razão). Ocorreu algo simples de se entender: de um a hora para outra, você recebe em sua casa várias pessoas que não tem documentos, não falam sua língua, tem religião e cultura opostas a sua e que, inclusive, detestam seus valores morais e religiosos. E o pior: não respeitam o lugar onde vão morar, eles querem é mudar os costumes do povo e do local para onde se mudaram! 

 Nos primeiros dias, um alegria só... Lágrimas, muito obrigado!..., que crianças lindas (coitadas!), abraços, comemorações e discursos esquerdopatas calorosos explicando "o quanto devemos acolher a todos, sem discriminação religiosa". Com 30 dias, os novos "amigos refugiados" começam a reclamar da comida, da casa, da ociosidade, das roupas que receberam, das roupas que VOCÊ veste e dos seus costumes... Com 2 meses, começam a bagunça, as agressões, a rebeldia, surgem líderes entre os refugiados a reivindicar direitos e coisas, mas sem NENHUM DEVER. Logo começam a ameaçar os "anfitriões" e lhes impor padrões morais e religiosos - afinal, que absurdo mulheres usarem saias e andarem sem burka! Allah não aceita isso!!! Pronto! Aí, a ficha começa a cair para muitos (imbecis) europeus. Brincar de Arca de Noé humana é legal na Internet, tudo é lindo e muito humano. No mundo real, o buraco é bem mais embaixo.

Em resumo, a nova lei imposta pelos supostos "refugiados": quando estiver na Europa, fale como os muçulmanos do Oriente Médio - não como os europeus. Conseguiram uma enorme invasão geopolítica sem dar um só tiro! Opa!!! Esqueci dos ataques em Paris! Ahhhhh!!! Paris... Foi pintada de vermelho com o sangue dos franceses inocentes e também dos culpados. Seguem vídeos que já postei aqui, mas merecem TRIS:











Este é o vídeo é imperdível, em inglês, do que aconteceu em Colônia (Alemanha), como escrito no texto do post acima: 



Uma pergunta: por que isso não sai no Jornal Nacional ou no SBT? 


 E o pior: a prefeita e também a primeira ministra alemã (Angela Merkel) DEFENDERAM OS REFUGIADOS, dizendo não haver provas de que foram eles os agressores e estupradores!!! Esquerdistas filhos da puta, se fosse uma filha de vocês, o papo era outro! Entendem agora por que odeio gente igual a quadrilha do PT? São canalhas iguais, seja aqui ou na Alemanha




5 comentários:

  1. Esse excesso de solidariedade com os refugiados vai afundar o continente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SMI, bom ver você por aqui! Não sou contra ajudar os outros, mas deixar a porta da casa escancarada não é ajuda: é suicídio! O que os europeus fizeram é uma loucura sem precedentes. Repito: o tempo é o senhor da razão. Veja todos os vídeos que postei e tire suas próprias conclusões. Foi simplesmente uma invasão da Europa, sem armas. A ilha utópica vai explodir com uma boa dose de REALIDADE.

      Excluir
    2. Concordo contigo, é importante ajudar, ainda mais considerando o fato de que a Europa ocidental sugou as riquezas do mundo por muito tempo, mas essa ajuda que eles estão dando é autodestrutiva... só muito esquerdismo no sangue mesmo para não perceber isso.

      Sempre leio seu blog, só não comentava rs. Abraço!

      Excluir
  2. Hoje, mais um maluco muçulmano atacou uma delegacia em Paris... Foi morto a tiros. Mas, quanto custa viver todos os dias com medo de um ataque? Quer conhecer o ISLÃ? Entre neste site:

    http://www.thereligionofpeace.com

    OBS: NÃO SE ASSUSTE COM A REALIDADE.

    ResponderExcluir
  3. Em tempo: sei que morrem no Brasil mais de 58.000 pessoas por ano assassinadas. Mas aqui, todos nós sabemos o lixo que moramos e os governantes fazem vista grossa, pois estes sistema maligno os sustenta (inclusive, o narcotráfico). Mas quando se trata de Europa, de "muçulmanos moderados" (KKKKK, piada!) estão tomando uma boa dose de REALIDADE na cara.

    ResponderExcluir

Conto com a boa educação e colaboração de todos!

Comentários ofensivos ou comunistas / socialistas / petistas - entre outras merdas - não serão publicados.