sábado, 19 de dezembro de 2015

A Formiga e a Cigarra Formiga: uma velha fábula, com um novo personagem

Escrevo aqui uma estória antiga, com um novo personagem:

 "O Formiga e a Cigarra Formiga (um novo tipo de formiga, ou seria de cigarra?) eram irmãos. Por um acaso do destino Darwiniano, uma delas nasceu com uma mutação no DNA. Mais especificamente, no cromossomo responsável pelo equilíbrio emocional financeiro e pela humildade.        Sigamos...

 Ambas nasceram no mesmo formigueiro, mesmos pais, mesmo local, sendo que "F" (o Formiga)  era uns 6 anos mais novo. A "CF" (Cigarra Formiga) sempre teve tudo pago pelos pais, como queria e quando queria. Eram assim também com as outras duas filhas formigas e com o filho "F", mas a "CF" era mais ambiciosa do que organizada.

 O tempo passou, veio uma terrível crise na Fazenda onde viviam, o pais formigas praticamente faliram. A "CF" morava fora nesta época, em um fazenda distante onde fazia um curso particular de 3 anos, vivia em um bom formigueiro alugado, tinha um carro do ano novo ("CF" chique não anda a pé) e não trabalhava. Quem estuda não trabalha... teoricamente. 

 Os pais formigas mudaram de fazenda e reiniciaram uma nova vida profissional e pessoal. Eram comerciantes. Continuaram a bancar a "CF", como ela queria, e agora já formada no curso que fez iria começar a trabalhar e ganhar  seu dinheiro (bom, era o que se esperava). Escolheu a Fazenda Capital como local para trabalhar, pois na capital havia pessoas mais ricas e assim, poderia ganhar mais com seu trabalho de "CF" decoradora.

 O Formiga também estava fazendo sua faculdade (Federal!), gerando uma bela economia aos seus pais. Por necessidade, "F" e "CF" acabaram morando juntos na capital, a faculdade de "F" também ficava lá. "F" comia na própria faculdade, pois era mais barato e mais fácil para voltar as aulas - sem ter que pegar ônibus e ir para casa, economia de tempo também. Quando havia chance para um "cochilo" antes da aula, ia descansar numa sala de aula vazia ou mesmo na sombra de uma árvore - havia muitas na faculdade, com ar fresco, sombra e silêncio! A mochila, fiel amiga, era um bom travesseiro. Não foi um convívio muito amigável entre os irmãos, pois "F" não concordava com o modo de vida da "CF" principalmente quanto a seus gastos. Certa ocasião, a "CF" disse aos pais que "F" não seria grande coisa futuramente, que não esperassem muito dele. 

 O tempo passou, "CF" se casou e "F" se formou e foi para a pós-graduação em outro estado. Anos depois, para encurtar a estória, a Cigarra Formiga estava rica. Empresária, saia nos jornais, trocava de carro  2 a 3 vezes por ano. Viajava ao exterior de 5 a 6 vezes por ano. Nova York? Duas vezes! Argentina era coisa de feriado... Paris era logo ali. Carro? Mercedes ou Pagero, nada de furrecas! Gostava de posar como rica e bem sucedida, tomava-se vinho em sua casa como se bebe água. "F" teve oportunidade de ver aquilo e avisou aos seus pais: "Isso uma hora acaba e não acaba bem. Esse estilo de vida que ela leva é o caminho da falência". Trocar de carro para "F", somente após 5 anos ou mais de uso do mesmo. 

 E o Formiga? Bom, como sempre seguiu a regra de nunca gastar mais do que se ganha e de se poupar uma boa parte dos seus ganhos todos os meses, estava rico também. E procurava sempre formas de ganhar dinheiro usando mais o intelectual do que o físico, formas de aplicar melhor seu dinheiro e sempre lendo sobre os temas: riqueza, aposentadoria, investimentos e empreender. Descobriu um livro de formigas americanas chamado "O Milionário Mora ao Lado". Livro inesquecível! Descrevia bem como vivem as formigas que enriquecem e as que destroem riquezas. 

 Nesta altura do tempo, cada irmão com sua vida e seu formigueiro, a "CF" começou a ter problemas financeiros. Tinha 1 loja, abriu outra. "F" lhe disse: "Pare por aqui, lojas demais geram passivos demais, principalmente trabalhistas. Ainda mais com franquia e num shopping!". "CF" não ouviu, abriu mais duas lojas, seguia viajando como piloto da TAM e trocando de carro e de apartamento num ritmo anormal. E cada novo aparamento era decorado com o que havia de melhor e caro... "F" sabia que esta conta não fecharia e o final seria triste. Numa ocasião, falou para "CF": "Você precisa ler este livro, tem minha dedicatória na contra capa. Leia, mudou minha vida e vai mudar a sua". Era o livro acima citado. 

 A "CF" passou a ter problemas conjugais, todos podemos ter. Não vou entrar no mérito do motivo do problema, mas tenho certeza que o financeiro também influenciou. Não que o esposo dela fosse um cara pacato. Era gastador tcomo ela! Mas quando o dinheiro acaba, o amor foge pela janela... E seguia numa vida incompatível com um final feliz financeiro.

 Certo dia, com o casamento da "CF" já terminado e o litígio rolando, ela ligou para "F". Ele a perguntou: "Leu o livro que te dei?"; ouviu um sim não confiável e ao perguntar do conteúdo do livro, viu que ela não o havia lido. Ou se leu, não aprendeu. Estava óbvio! Dicas dadas, todas elas, nenhuma foi seguida pela Cigarra Formiga como ajuda ao seu divórcio - nem o advogado que "F" disponibilizou ela ouviu. A "CF" estava falida e altamente endividada, algo em torno de 1 milhão de reais. Isso mesmo. Agora, em 2016, ela vai sair do país para trabalhar como empregada em formigueiros bem longe daqui, longe de seus filhos inclusive. Valeu a pena? Qual a moral da história? 

1- Nunca gaste mais do que se ganha.
2- Leve uma vida frugal, mas nunca avarenta.
3- Se pague primeiro! Poupar todos os meses deve ser uma lei em sua vida.
4- Ouça as pessoas que gostam de você. Muitas vezes, vão te livrar de sérios problemas.
5- Bons conselhos são de graça e não tem a intenção de te agradar. 
6- Não tente ser quem você não é, para provar a quem você não conhece aquilo que nunca precisou provar!

"Status é comprar coisas que você não quer, com o dinheiro que você não tem, a fim de mostrar para gente que você não gosta, uma pessoa que você não é."

7- Leia, estude, trabalhe, ouça, poupe e seja um bom pechincheiro. Dinheiro não aceita desaforo, nem burrice. Já cometi as minhas e pago por elas até hoje.
8- A Formiga, da fábula de Ésopo, trabalhava e poupava. A Cigarra, só vivia a fanfarronar. A Cigarra Formiga, trabalhava como a formiga mas gastava muito além - como a cigarra tradicional! Não se pode ser poupador e gastador na mesma proporção, um dos lados deve prevalecer. E se for o lado "cigarra", o final da estória será sempre o da fábula de Ésopo.

9- Vocês já sabem que esta estória é minha história real, neste exato momento. Sinto muito pela Cigarra Formiga, mas cada um escolhe um destino para sua vida. Que ela aprenda a lição, falta de aviso não foi. Meu pai sempre falou: "quem não aprende em casa, aprende nas ruas. E lá, não é o melhor lugar". 
10- A realidade é o melhor remédio para quem vive num conto de fadas.



"No pain, no gain!"






6 comentários:

  1. Uma bela e trixte história! Todos temos oportunidades na vida. Infelizmente nem todos sabem aproveitar.


    ResponderExcluir
  2. Só digo uma coisa: parabéns!
    Tenho uma identificação grande com o texto, embora eu esteja apenas no início da minha vida poupadora.
    Abraco!

    ResponderExcluir
  3. Heavy Metal, você já conta bastante aqui nesse texto. Mas permita-me fazer algumas, você responderá o que quiser, claro: Bancando as mordomias e universidade privada do teu irmão parece que teus tinham uma condição financeira razoável; Você já disse que o primeiro imóvel que comprou na vida foi para seus pais e que você pagou os últimos anos de INSS deles; logo deduzo que as coisas não continuaram tão boas para eles; Você fez universidade federal, assim como eu comecei esse ano, quero perguntar se abriu sua primeira empresa quando ainda e era empregado, se teve ajuda financeira dos pais para abri-la ou se juntou o dinheiro você mesmo junto aos sócios, enfim como foi que se tornou empresário. Pergunto porque eu faço federal mas a situação dos meus pais agora tá muito mais pra dos seus quando estavam para se aposentar - ou seja, financeiramente muito mal, pobres. Tu já deu várias no blog. Estudar muito mesmo, trabalho duro, disciplina, garra etc. Acredito que tu comentou recentemente em algum blog, acho que o do Madruga, que teve tempos incertezas e que acreditava aquilo valeria a pena no futuro. Enfim. Aqui em Minas,todos os anos abrem 27 vagas para Oficial do corpo de Bombeiro. Salario bruto de 5.8k durante o curso e 8.8k como 2º Ten. assim que formado e com quinquenio: 15k brutos. Aí já pensei em largar a faculdade e seguir isso, tenho 18 anos ainda. Talvez eu juntaria dinheiro para abrir alguma empresa, mas aí não seria em uma área específica já que não me formaria engenheiro, ou me aposentaria com 25+ anos de servço. Serviço público não é nem nunca foi sonho. Mas alguns anos com muito pouco dinheiro é muito sacrificante. Me alonguei demais. Só queria saber um pouco da tua trajetória porque, obviamente, admiro o que tem conquistado de patrimônio. Abraço!!

    ResponderExcluir
  4. Vou te dizer o que meu pai disse quando escolhi minha profissão: espero que você seja feliz e ajude sempre seu semelhante.
    Dinheiro é muito, mas nunca é tudo. Meu sonho era ser oficial do Exército Brasileiro, desde meus 7 anos de idade. Hoje, por coincidência, um caminhão dos bombeiros passou por mim e senti orgulho daqueles homens e mulheres. Iam para uma emergência. Nada neste mundo paga uma vida salva. Você pode ser militar e fazer sim sua faculdade!
    Tenho um primo major da PM (de carreira) e que fez Educação Física e Administração. E aí? Vai encarar? KKKKKK
    Tem 3 cursos superiores, se assim você observar. Ser militar não impede de faze outro curso superior! E você ainda consegue ter renda neste tempo. É um caminho.

    Se teu coração diz para ser Bombeiro Militar, seja e traga orgulho a si mesmo e para mim. Depois, conte aqui. Viva sempre com menos que você ganha e futuramente terá sua bola de neve. Eduque seus pais - isso mesmo! - a gastar menos. Economize na energia, na água, no telefone, evite supérfluos. Ande de moto, bicicleta ou ônibus se puder (mais seguro), more perto do seu emprego... Tem "N" coisas a se fazer para economizar.

    Estude de VERDADE: esqueça a namorada, o fim de semana, o shopping, festas, Carnaval. Quem tem um objetivo tem que ter FOCO e DISCIPLINA. Estudar e economizar são duas ferramentas fundamentais para se subir na vida. Diferente do Kyosaki, autor de Pai Rico, Pai Pobre, acho que o estudo importa e muito. Conhecimento não ocupa espaço na cabeça de ninguém.

    Fico feliz de receber um post como o seu, significa que o que escrevo alcançou o coração de alguém. E se isso te ajudou, cumpri parte da minha missão nesta vida. Já tive 18 anos, de longe não tinha sua mentalidade nesta mesma idade e te dou os parabéns por isso. Lembre-se: quanto mais você estudar e trabalhar, mais "sorte" você terá...

    Converse com seus pais, faça um plano de contenção de despesas e de aporte MENSAL em uma renda fixa boa, faça sol ou chuva. Que sejam 50,00 reais, mas a disciplina e o tempo (vc é muito jovem) te trarão a riqueza financeira. A pessoal, já vi que você tem futuro.

    "Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

    ResponderExcluir
  5. Sensacional Heavy M. Uma pena do outro lado as coisas não foram tão diligentes. Repassarei o texto para um nobre conhecido meu que ainda tento ajudar.


    Forte abraço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RI, fique a vontade. Sigo vivendo bem, mas sempre gastando menos do que eu ganho TODOS OS MESES. Sou um jardineiro fiel do meu dinheiro!

      Excluir

Conto com a boa educação e colaboração de todos!

Comentários ofensivos ou comunistas / socialistas / petistas - entre outras merdas - não serão publicados.