sábado, 1 de agosto de 2015

Proventos da Carteira HEAVY METAL - Julho de 2015 (D.C.)

OBS: A + (B)+ C + D = empréstimos + (BTC, Proventos de ações e FII) +  RF (CBD/CRA/LC/LCA/LCI) + PP. A Previdência (PP) tem rendimento bimestral.

Janeiro: 3.000,00 + 3.113,29 + 8.768,73
Fevereiro: 3.000,00 + 3.038,06 + 3.502,44 + 9.109,53
Março: 3.000,00 + 3.139,65 + 5.213,74
Abril: 3.200,00 + 3.668,36 / 5.626,47 + 3.390,18 + 10.239,48
Maio: 3.200,00 + 3.819,52 + 4.762,21
Junho: 3.200,00 + 4.507,61 + 4.862,91 + 9.633,45 
Julho: 3.200,00 + 4.554,95 + 5.936,03 + 10.000,00 (extra da minha empresa)
______________________________________________

TOTAL: 128.686,61 reais


Obs: Lembrando que os proventos da PP são contabilizados de 2 em 2 meses, nos meses "pares". 




 Somei os proventos da RF e dividi pelo valor do mês de Junho:



3.200,00 (A) + 5.936,03 (C) / 720.885,25 (RF total de Junho) = 1,26%. Melhorou em relação ao mês passado.


 Mais um cálculo:


128.686,61 / 7 = 18.383,80 reais por mês são os atuais proventos da minha carteira em 2015! Número já é maior, mais uma vez, que a média de 2014 (16.913,22 reais). Com mais 1.616,20 reais / mês, eu chego na meta dos 20.000,00 reais de proventos mensais.


 Metas sendo seguidas e logo alcançadas, graças a alocação em RF e FII (comprados com desconto, dei uma pausa na compra deles, estou a espera de alguma queda e vou aportar mais 50.000,00 reais). Ações, por enquanto, sigo quieto. 

 O aporte este mês foi pesado e deve seguir assim, graças ao aumento da minha renda pessoal em 25.000,00 reais por mês, com o contrato que fiz 2 meses atrás. Esta grana virou automaticamente "dinheiro para aportar", vivo como se ela não existisse, como se não tivesse adicionado este dinheiro mensal na minha vida. Isto, para mim, é frugalidade de verdade! Não é viver como pobre, na avareza, mas viver com menos do que se ganha e guardar uma parte todos os meses! Seja 5% ou 50%, mas guardar sempre.

 Não sou judeu, não sigo o Talmud (que do ponto de vista religioso, tem aspectos racistas absurdos), mas a parte escrita na Babilônia (sim, o Talmud tem duas partes, uma mais antiga chamado Talmud de "Jerusalém" datada de 400 D.C. e a seguinte e mais completa, chamado de Talmud da "Babilônia", de 500 D.C.) cita a mais antiga dica de alocação financeira:


 "A necessidade de investir de forma eficiente e diversificada não é exclusiva dos nossos tempos. Já os antigos sábios judeus refletiam sobre quais as formas de riqueza que deviam ser detidas por qualquer pessoa.


Algumas das principais leis e tradições judaicas foram compiladas no ano 500 D.C. no Talmud, que reúne 63 tratados legais, éticos e históricos. O Talmud inclui o mais antigo conselho de alocação financeira de que existe registro, escrito pelo rabi Issac bar Aha:

«A riqueza pessoal deve ser dividida em três partes: um terço deve ser investido em terrenos, um terço em negócio e mercadorias e o restante terço deve ficar disponível para utilização imediata» (adaptação do original aramaico – Talmud Bavli, Baba Mezi’a, 42a)

Para os antigos sábios judeus da Babilônia, a compra de terrenos agrícolas era inquestionavelmente o mais desejável dos investimentos. A procura excedia largamente a oferta. Existia uma percepção generalizada de que qualquer pessoa só era merecedora de crédito, junto de fornecedores e das autoridades fiscais, se detivesse um conjunto de terrenos.

No final do Império Romano, o estado da agricultura havia-se deteriorado de forma significativa. Muitos terrenos foram expropriados dos seus proprietários originais, que foram feitos escravos. Pelo contrário, o comércio era visto como a chave para a segurança económica, e foi através desta atividade que os judeus prosperaram nos séculos seguintes.

Não surpreende, assim, a preocupação de não deter toda a riqueza numa só classe de ativos. Na verdade, as regras não mudaram muito em 1.500 anos. Com as devidas adaptações ao mundo actual, o que o rabi Issac propõe é o investimento em 3 classes de ativos:

- Imóveis ("terrenos")

- Ações, Moedas e Metais (“negócios e mercadorias”)

- Renda Fixa (“disponível para utilização imediata”)"

 Eis a primeira "dica" de asset allocation da história, aparentemente. Recomendo a vocês o livro "O homem mais rico da Babilônia" - para quem quer uma leitura agradável e  ao mesmo tempo educadora financeira.  Creio que o autor deste livro teve influências judaicas, até mesmo pelo título e pelos ensinamentos nele contidos. Enriquecer começa com trabalho e atitude mental, sua mente deve ser educada e treinada para tal. "Ler" é uma etapa primordial deste processo de enriquecimento,  junto com o "trabalhar" e o "poupar".










16 comentários:

  1. Heavy, vc diversifica em imóveis tb?

    se não, tem planos?

    abs, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. anonimo,
    Eu tenho vários FII, eis aí minha diversificação - com liquidez. Exceto comprar lotes e ver os mesmos valorizar, coisa que ainda não fiz, só me interesso por FII (tanto pela diversificação + liquidez, quanto pela isenção de IR). Investimento ainda imbatível, na minha opinião. Claro, devemos avaliar preço/proventos/riscos ao escolher os mesmos.

    ResponderExcluir
  3. Vamos torcer para que a Dilma vá embora depois de agosto! Não podemos perder esse foco para ter um futuro melhor!

    ResponderExcluir
  4. Olá Heavy Metal,

    Bem interessante essa história de alocação de ativos dos judeus.
    Acho que no meu caso embarquei nessa de corpo e alma sem saber que era um ensinamento do Talmud.
    Tenho terrenos e não fiis, sou comerciante e possuo um dinheirinho em aplicações financeiras. rs

    Li anteriormente que você viajará para o Leste Europeu ( Viena, Praga, Budapeste), por incrível que pareça estava conversando com a minha esposa sobre esses lugares semana passada. Com o euro próximo do dólar, estávamos pensando em fazer uma viagem ano que vem só para Alemanha ou justamente nesses lugares que você irá agora.
    Me disseram que essa região é lindíssima. Parabéns pela escolha.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. BBB, te darei notícias da viagem! Esta alta do Euro me lascou, mas a viagem já estava paga (dividi em 6 meses, sem juros).

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Heavy , sou novo por aqui aqui e já curtindo acompanhar suas aplicações e rendimentos. Possuo umas aplicações , porém no próximo ano irei abater o saldo devedor do meu imóvel por inteiro e voltarei a ficar com o montante de 3 anos atrás. Comecei do zero , comprei imovel para minha mãe e para pra mim , necessários , ao meu ver. A partir do ano que vem , irei focar no meu objetivo de obter a sonhada IF. Tenho 26, proventos de 11k. Gostaria de saber com que idade começou , quais seus proventos iniciais , quanto poupava e quais investimentos foram os escolhidos na época. Desde ja agradeço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro WWBM, parabéns pela idade e pela iniciativa. A "sorte" costuma ajudar quem trabalha e poupa, já diz a lenda...
      Se você der uma olhada em posts meus antigos, terá algumas respostas. Me lasquei muito em ações, e quando acertei muito eu estava comprado em mixaria (ex: Grendene e Drogasil). Liquide suas dívidas se os juros forem maiores que os investimentos, isso é o mais óbvio a se fazer. Meu primeiro imóvel eu comprei para meus pais morarem, igual você. Eu queria casar e não tinha casa: paguei meu apartamento minúsculo e a casa ao mesmo tempo, foi OSSO (mas valeu a pena). Comecei aos 35 anos, você tem uma enorme vantagem de idade a meu ver a seu favor - ótimo! Aproveite estes 26 anos e poupe MUITO. Foque em ter no mínimo 50 % em Renda Fixa, nunca menos que isso. Abraço!

      Excluir
  7. HM, sensacional o paralelo do Talmud com a vida real nos tempos atuais.

    Eu também diversifico nestas 3 categorias, porém isso sempre foi feito de forma intuitiva, agora sigo mais convicto desta composição.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EI,
      Se os caras que entendem de grana escreveram isso há mais 1500 anos, quem sou eu para contestar? Kkkkk

      Excluir
  8. Parabéns pelos resultados e mais ainda pela grande quantia nova de dinheiro que vai compor seus aportes.
    Concordo 100% com seu conceito de frugalidade ("Não é viver como pobre, na avareza, mas viver com menos do que se ganha e guardar uma parte todos os meses!").
    Praga é uma das cidades mais bonitas que já vi. Não tem como não gostar.
    Abraço

    ResponderExcluir
  9. ID, a pior pobreza é a de espírito. De que adianta guardar dinheiro e não usufruir? Isso se chama sovinice, burrice e perda de tempo. Tudo tem um equilíbrio, seja ao poupar ou ao gastar. Frugalidade é viver com menos que se ganha e gastar na medida certa.

    ResponderExcluir
  10. Renda fixa os rendimentos caem na conta e ficam disponíveis para saque igual os rendimentos dos fii ou apenas aumenta o capital?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scott, caem na conta e você pode ou não usar. Se a aplicação tiver prazo, tem que esperar o mesmo vencer. Mas se tem liquidez diária, resgata quando quiser.

      Excluir
  11. Heavy,

    Muito legal a passagem do Talmud da "Babilônia". Não sou judeu mas sempre me interessou essa parte sobre como eles estudam as finanças e riquezas. Vou colocar esse livro como próximo da leitura.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei interessante. Gosto de compartilhar boas idéias.

      Excluir

Conto com a boa educação e colaboração de todos!

Comentários ofensivos ou comunistas / socialistas / petistas - entre outras merdas - não serão publicados.