segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Rendimento da Renda Fixa em 20 anos de Plano Real bate todos os outros investimentos

 Hoje estava a surfar pela Internet e achei alguns dados interessantes num site chamado "Monetar" (As melhores e piores aplicações em 20 anos de Real). Segue o texto inicial, de 30/06/2014, transcrito sem alterações:


"Há 20 anos nascia o Real, uma das principais medidas do plano econômico que estabilizou a economia brasileira e abriu as portas para que nosso mercado financeiro se desenvolvesse. A moeda entrou em circulação no dia 1º de julho de 1994.

Para relembrar a data, a consultoria Economatica levantou em sua base de dados como foi o desempenho de uma série de investimentos entre 30 de junho de 1994 e 26 de junho de 2014.

Os dados revelam que, apesar de uma maior estabilidade econômica, a renda fixa foi o melhor investimento, e o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, foi apenas o terceiro em rentabilidade no continente americano. Isso já descontada a inflação.

A caderneta de poupança, aplicação financeira preferida dos brasileiros, perdeu da renda fixa e das ações no período.

Veja a seguir quais foram os melhores e piores investimentos da era do Real, além das dez melhores e dez piores ações dos últimos 20 anos, tudo isso já descontada a inflação pelo IPCA:

Ser um investidor conservador foi um bom negócio

De 30 de junho de 1994 a 26 de junho de 2014, o CDI, taxa de juros que serve de referência para os investimentos de renda fixa, foi o que obteve o melhor desempenho: 631,70%, já com ajuste pela inflação oficial (IPCA) apurado até 31 de maio.

Isso significa que os investimentos em renda fixa mais conservadora foram, em média, os mais rentáveis. O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, indica que as ações vêm logo em seguida, com rendimento de 221,11%.

Já a poupança, aplicação queridinha dos brasileiros, rendeu apenas 103,20% - perdendo, portanto, de investimentos como títulos públicos, fundos DI, fundos de renda fixa e ações."


InvestimentoRentabilidade acima da inflação
CDI (renda fixa)631,70%
Ibovespa (ações)221,11%
Poupança103,20%
Ouro69,03%
Dólar (taxa Ptax venda)-51,97%
Fonte: Economatica

 Notem que as rentabilidades já incluem o ajuste da inflação. Conforme tenho dito aqui, vou focar em aumentar meus aportes em renda fixa e imóveis e estou quase fechando um novo trabalho de consultoria que pode me render uns 10.000,00 reais por mês (talvez mais!). Aí sim, lavo a égua!

 Nada contra quem está investindo em ações, mas por enquanto estou fora de novos aportes na Bolsa - e isso é apenas minha opinião. Cada um corre os riscos que aceita, eu escolhi os meus. Não vou gastar meu tempo em busca de rendimentos mágicos se posso focar em ganhar mais dinheiro e deixar meus investimentos no "piloto automático", com mais tranquilidade. Apenas para reflexão. 



10 comentários:

  1. HM,

    Essas comparações do CDI com o Ibovespa são totalmente sem noção. O Ibovespa é composto por um monte de porcaria. Faz agora uma comparação entre o CDI e uma carteira com 20% de Ambev, Itaú, Petrobras, Souza Cruz e Vale. A carteira ganhou do índice (mesmo com a Petrobras) por MUITO, mas muito MESMO.

    Em resumo, fazer comparações com o Ibovespa é uma enorme perda de tempo. Ações > Renda fixa. A história mostra isso.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Caro IL,
    Para quem acerta nas ações é sim uma boa, mas quem erra na maioria das vezes não assume ou publica. Eu apenas estou atrás de menos risco, cada um assume o seu. Ganhei com BBAS3 mais de 30% em um ano e tomei pau em ELPL4... Cada um investe naquilo que acredita e ninguém tem razão no final... Kkkkk
    Quero ver meu bolo crescer mesmo que devagar, mas sempre "up". Melhor subir 10% que cair 30%! Sei que para muitos é difícil ter grandes aportes ou ter 50% de alta num ano - exceto investido na Bolsa - mas não é meu caso. Ter a humildade de reavaliar os riscos que se corre cabe aos inteligentes e tenha certeza que não estou preocupado com a bolsa até porque está em alta agora. Mas optei por algo mais tranquilo. Vou esperar a próxima queda, o próximo fim do mundo e aí volto a comprar ações de boas empresas. Sei das ETFs e tal, mas não por agora... Vou reavaliar em 12 meses a carteira. Obrigado por comentar.

    ResponderExcluir
  3. Aos poucos que acompanham o Blog:

    Não sou guru de finanças nem guia de economia, o Blog é meu diário de investimentos e nada mais que isso. Com meus erros e acertos, eles serão sempre meus e o Blog o reflexo disso. E não me preocupo com os Trolls... apenas não os alimentarei.
    Tem "N" estudos disso e daquilo no mercado, métodos de investimento, reaplicar dividendos, realocar o portfólio e outras coisas que muitos sabem melhor do que eu. Não sou contra investir em ações, sou o contrário disso! Mas agora optei por garantir uma bela grana em renda fixa e gerar um fluxo de caixa mensal de 20.000,00 reais ou mais, sendo isso muito difícil no sobe e desce da bolsa. Simples assim.
    Para quem tem tempo e conhecimento de empresas, ações e se diverte (e ganha) com isso, nada melhor que a Bolsa de Valores. Mas eu estou focando meu tempo e dinheiro em MENOS RISCO = menos OU mais retorno, o tempo dirá. Só sei que obviamente não terei menos dinheiro com esta estratégia. O importante e criar a discussão onde idéias são trocadas, argumentos são utilizados, pontos de vista e dados são expostos... viva a Internet e a democracia! Torço pelo sucesso de cada um de vcs e pelo meu também. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  4. Heavy Metal,

    A cada dia me convenco mais dessa mesma estratégia, ainda mais com as altas taxas pagas pelos FIIs e renda fixa. Se o jogo está ganho (ao menos no nosso caso) para que continuar jogando...

    Abs,

    VR.

    ResponderExcluir
  5. VR,
    Também acho. Já tenho meu milhão e um pouco mais, tenho que cuidar para não perder ao invés de correr riscos adoidados e diminuir minha bola de neve. Tamo junto!!

    ResponderExcluir
  6. Olá Colega!
    Sim, as taxas de juros altas distorcem tudo. Isso foi ainda mais pronunciado na segunda metade da década de 90, quando tivemos taxas de juros superiores a 40% aa. Se você observasse dados a partir de 1999 (quando adotamos o tripé econômico, principalmente no que toca a flutuação do câmbio), o IBOV possui uma ligeira vantagem sobre o CDI.
    Nossas taxas de juros ainda são muito altas, e isso realmente tira um pouco a atratividade. Porém, veja que é por causa dos juros altos que podemos achar empresas sólidas pagando 6/7/8% em dividendos. Nos EUA, os dividendos médios são na faixa de 2% aa. Portanto, o nosso mercado oferece muitas formas de altas rentabilidades reais ainda por causa das taxas de juros.
    FII sólidos pagando 10/10,5% também é algo que inexiste nos REITs. Para você ter ideia, apenas no auge da crise em 2008 dos REITs é que alguns deles chegaram (por causa da desvalorização acentuada) a pagar algo em torno de 9/10%. Essa situação perdurou alguns meses apenas. Atualmente, a média é de uns 3,65%, isso que lá se pode pagar até quase 45% de income tax no fluxo de dividendos nos REITs, enquanto aqui podemos receber um fluxo de 10% livre de impostos.
    Também concordo que quando se está lá, a necessidade de exposição no mercado acionário vai diminuindo. Por isso, eu revi a minha estratégia e estou focando em RF, FII e em negócios diretos que eu domino mais.
    Porém, o mercado acionário serve como um bom diversificador de risco, e isso é importante num portfólio. Portanto, eu pretendo talvez reservar entre 15/20% para o mercado acionário.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, SS
      Pretendo voltar a ter BBAS3 (que tbm paga bons proventos) quando baterem bem mais nela - o mercado vive de euforia e depressão... Amigos meus liquidaram BBAS3 nos 35 e 37 reais agora, com compras nas casa dos 19 a 20 reais = +- 94% de alta. Isso levaria aí uns 9 anos na renda fixa e se fossem juros simples com taxa líquida de 10% ao ano de lucros. Mas agora não compro nem a pau. Estou estudando 3 FII para voltar a comprar e ficar com 5 na carteira. Abraço!

      Excluir
  7. É muito bom você ter voltado, já acompanhava seu blog antes da criação do meu e sempre gostei dos posts!

    Quanto a comparação com o IBOV vale lembrar que como a sua composição é baseada no volume sua composição às vezes fica distorcida da economia real, como foi o caso da OGX em 2013 e das teles na década de 90, e, ainda, o cálculo do IBOV não considera o reinvestimento de proventos, enquanto a rentabilidade do CDI considera o reinvestimento de juros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      O bom de publicar é trazer opiniões para serem debatidas. Ninguém é dono da verdade, por isso a discussão só enriquece. Quando o Mauro Halfeld falava em PIBB11 eu já comprava FII, quando ele começou a falar de FII eles já estavam caros... Não sei se quanto ao IBOV colocaram o reinvestimento dos dividendos ou não no cálculo, te juro. Mas a idéia do meu post foi reflexo do meu questionamento pessoal: quanto de risco EU preciso? Sai navegando pela Internet e achei o texto do site Monetar - entre tantos outros. Coloquei aqui e sabia que teria várias opiniões sobre o mesmo. Isso é ótimo.

      Sei de gente que comprou ELPL4 nos 6,XX e BBAS3 nos 19,XX meses atrás, entrou com 200K e liquidou agora ambas nos 10 e 36 reais respectivamente. Lucrou 60K em ELPL4 e 95K em BBAS3 = 155.000,00 reais. Onde conseguira isso exceto na Bolsa, em tão pouco tempo? Parece difícil, mas muitos tem dificuldade de vender na alta e comprar na baixa.

      Não fugi da Bolsa, apenas vou diminuir meu risco por enquanto e esperar uma boa oportunidade de entrar de novo. E ainda estou carregando duas malas atoladas: VALE5 e ELPL4, KKKKK

      Excluir
  8. Metal,
    Depois poste mais sobre suas experiências como empreendedor.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir

Conto com a boa educação e colaboração de todos!

Comentários ofensivos ou comunistas / socialistas / petistas - entre outras merdas - não serão publicados.